Mobilidade pendular e integração regional: uma metodologia de análise para as regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo

Autores

  • Carlos Lobo IGC/UFMG
  • Leandro Cardoso Escola de Engenharia/UFMG
  • Ivania Linhares de Almeida Escola de Engenharia/UFMG

Palavras-chave:

integração metropolitana, mobilidade pendular, regiões metropolitanas, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo

Resumo

Não é raro, na literatura acadêmica, haver controvérsias sobre os limites e a configuração das regiões metropolitanas no Brasil. Afora a falta de critérios na definição desses recortes regionais, parece relevante considerar o significado e a abrangência da mobilidade pendular na dinâmica populacional regional. O objetivo deste artigo é investigar o nível de integração dos municípios periféricos que integram as regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. Utilizando-se dos microdados amostrais do Censo Demográfico de 2010, foi proposto o Índice de Integração Metropolitana, agregado das Razões de Pendularidade Interna, Conectividade Pendular e Pendularidade Nuclear. Em geral, os resultados indicaram sensíveis diferenças regionais, para além do esperado efeito da variável distância, permitindo identificar casos de baixo nível de integração.

Biografia do Autor

Carlos Lobo, IGC/UFMG

Doutor em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente é subcoordenador do Programa de Pós-graduação em Geografia do Instituto de Geociências da UFMG e docente credenciado nos Programas de Pós-Graduação em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais e em Geografia, ambos da mesma instituição. É líder do grupo de pesquisa intitulado Geografia Aplicada, reconhecido pela UFMG e cadastrado no CNPq. Foi chefe do Departamento de Geografia da Universidade Federal de Minas Gerais, editor da Revista Geografias/UFMG e bolsista FAPEMIG. Atua preferencialmente na área de concentração "Geografia da População", especialmente nas linhas de pesquisa migrações/mobilidade espacial da população e em métodos quantitativos aplicados a análise espacial.

Leandro Cardoso, Escola de Engenharia/UFMG

Possui Graduação em Geografia (1999), Mestrado em Geografia (2003) e Doutorado em Geografia (2007) pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente é Professor Adjunto IV do Departamento de Engenharia de Transportes e Geotecnia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Foi Coordenador pro tempore do Programa de Pós-Graduação em Geotecnia e Transportes da UFMG (2015 a 2017) e Subcoordenador do Curso de Especialização em Logística Estratégica e Sistemas de Transporte da UFMG (2011 a 2015). Tem experiência nas áreas de Geografia e Engenharia de Transportes, atuando principalmente nos seguintes temas: Geografia Urbana, Planejamento Urbano, Planejamento dos Sistemas de Transporte, Mobilidade Urbana Sustentável, Desigualdades Socioespaciais.

Ivania Linhares de Almeida, Escola de Engenharia/UFMG

Graduação em Engenharia Civil pela Faculdades Kennedy (1997) . Mestrado em Geotecnia e Engenharia de Transportes. Engenheira do CREA/MG.

Downloads

Publicado

2018-04-16