Cuidadores de idosos institucionalizados: vivências de prazer e sofrimento

Pamela Fabíola de Andrade, Carmem Regina Giongo

Resumo


Esta pesquisa tem como objetivo analisar as vivências de trabalho de cuidadores que atuam em lares geriátricos. Foram entrevistadas cinco cuidadoras, com idade entre 26 e 54 anos. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas, com perguntas abertas, possibilitando ao entrevistado falar livremente sobre as questões indicadas. Concluiu-se que estes profissionais têm uma ampla jornada de trabalho, fazendo muito além do trabalho prescrito e doando-se inteiramente para atender às necessidades apresentadas pelos idosos. Além disso, as cuidadoras entrevistadas pareceram não refletir sobre a prática do trabalho e afirmaram não ter escolhido esta profissão, mas vivenciado circunstâncias que as levaram a exercer tal atividade. Foi observado que neste campo de atuação não existem capacitações ou aprimoramento para o desempenho da função, implicando em riscos para a saúde física e mental destes profissionais.


Palavras-chave


saúde mental; psicologia da saúde; cuidadores; institucionalização; trabalho

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/2594-3871.2017v26i2p.303-321

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2017 Psicologia Revista

ISSN Impresso: 1413-4063
ISSN Eletrônico: 2594-3871


Psicologia Revista  está indexada em: