Formação do indivíduo, capitalismo liberal e psicanálise: algumas contribuições da primeira geração da escola de Frankfurt

Gustavo Henrique Carretero

Resumo


O presente artigo tem como referencial teórico a Teoria Crítica da Sociedade proposta pela primeira geração da Escola de Frankfurt, especialmente as contribuições de T. W. Adorno e H. Marcuse. Pretende-se discutir contribuições e contradições da psicanálise freudiana a partir da formação do indivíduo no capitalismo, como também, descrever a relação indivíduo e sociedade, dando prioridade às contradições do indivíduo liberal na perspectiva freudiana à luz da crítica da Escola de Frankfurt. Para tanto, foram tomadas como base do estudo três obras de Freud consideradas relevantes no que tange a relação indivíduo, sociedade e cultura. A psicanálise freudiana é apresentada a partir da sua defesa e crítica da ideologia liberal levando-se em consideração a perspectiva dos autores de referência. Destaca-se a importância da psicanálise como instrumento de crítica social, mesmo com seus aspectos ideológicos, pois esta, em suas próprias contradições, mantém a não identidade na relação indivíduo e sociedade fazendo ao mesmo tempo a defesa e a crítica da ideologia liberal e acentuando o caráter repressivo da civilização.

Palavras-chave


Formação do Indivíduo; Capitalismo Liberal; Psicanálise e Escola de Frankfurt

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2016 Psicologia Revista. Revista da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde. ISSN 1413-4063

ISSN Impresso: 1413-4063
ISSN Eletrônico: 2594-3871


Psicologia Revista  está indexada em: