A TRAJETÓRIA ACADÊMICA DE FRANKLIN LEOPOLDO E SILVA

HISTÓRIA, MEMÓRIA E TENSÕES DO TEMPO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23925/2176-2767.2021v71p351-374

Palavras-chave:

Franklin Leopoldo e Silva, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, História Oral de Vida Acadêmica

Resumo

O artigo analisa como documento uma entrevista inédita de história oral de vida acadêmica realizada com o Prof. Dr. Franklin Leopoldo e Silva. Investiga-se a maneira como o docente produziu uma memória narrativa reconstruindo suas experiências acadêmicas desde os anos 1960 até o início dos anos 2010. A fonte de pesquisa estabelecida permitiu uma imersão no trabalho de memória do narrador e a averiguação dos meandros de um processo que implica escolhas e representações sobre o passado. Investiga-se a maneira como o professor reconstruiu narrativamente sua história de vida intelectual, dando forma a uma identidade acadêmica vinculada à história da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP).

Biografia do Autor

Glauber Cícero Ferreira Biazo, Universidade Federal do Amazonas, UFAM

Professor de Teoria da História do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Amazonas.

Referências

ADORNO, S. Memorial de Titulatura. São Paulo: FFLCH-USP, 2004.

ADUSP. O controle ideológico na USP (1964-1978). São Paulo: Adusp, 2004.

BIAZO, G. C. F. Entre a ditadura e a democracia: história oral de vida acadêmica (FFLCH-USP). Tese de Doutorado (História Social). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

BOSI, E. O tempo vivo da memória: ensaios de Psicologia Social. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

CARDOSO, I. Maria Antônia: o edifício de n° 294. In: CARDOSO, I. Para uma crítica do presente. São Paulo: Ed. 34, 2001.

COMISSÃO DA VERDADE DA USP. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, IPM e Professores Cassados. São Paulo: EDUSP, 2018.

CUNHA, L. A. A universidade reformanda: o golpe de 1964 e a modernização do ensino superior. São Paulo: Editora UNESP, 2007.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.

LÖWY, M. Walter Benjamin: aviso de incêndio. Uma leitura das teses “Sobre o conceito de História”. São Paulo: Boitempo, 2005.

MEIHY, J. C. S. B. Manual de História Oral. São Paulo: Loyola, 2005.

MEIHY, J. C. S. B. Memória, história oral e história. Oralidades - Revista de História Oral/USP, Nº 8, p. 179-191, Jul./Dez. 2010.

NAPOLITANO, M. 1964: História do Regime Militar Brasileiro. São Paulo: Contexto, 2014.

MOTTA, R. P. S. Os olhos do regime militar brasileiro nos campi. As assessorias de segurança e informações das universidades. Topoi, v. 9, n° 16, jan.-jun. 2008, p.30-67.

POLLAK, M. Memória e identidade social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, p. 200-212, 1999.

PORTELLI, A. A filosofia e os fatos: narração, interpretação e significado nas memórias e nas fontes orais. Tempo, Rio de Janeiro, vol. 1, n. 2, 1996.

ROMANELLI, O. de O. História da Educação no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1984.

RICOEUR, P. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Ed. Unicamp. 2007.

RICOEUR, P. A marca do passado. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, v. 5, n. 10, p. 329-349, 31 dez. 2012.

SAVIANI, D. A questão teórica na constituição do espaço acadêmico da pedagogia no Brasil. In: A Pedagogia no Brasil: história e teoria. Campinas: Autores Associados, 2008.

SILVA, F. L. Bergson e Proust - tensões do tempo. In: Adauto Novaes. (Org.). Tempo e História. São Paulo: Cia. das Letras, 1992.

SILVA, F. L. A perda da experiência da formação na universidade contemporânea. Tempo Social - Rev. Sociologia/USP, São Paulo, 13(1): 27-37, maio de 2001.

TADEU DA SILVA, T. A produção social da identidade e da diferença. In: TADEU DA SILVA, T. & HALL, S. (orgs.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.

Downloads

Publicado

2021-09-01