Vínculos afetivos e Transtorno do Pânico: um estudo psicanalítico

Patrícia de Oliveira Dib

Resumo


O objetivo deste estudo foi pesquisar como são constituídos os vínculos afetivos por pacientes com Transtorno do Pânico e qual a importância dos mesmos para esses pacientes. As teorias de Freud, Winnicott e Trinca foram utilizadas como referencial teórico básico para este trabalho. Foram realizadas entrevistas semidirigidas com duas pacientes que sofrem de Transtorno do Pânico. Os dados obtidos foram analisados qualitativamente, sob a óptica da abordagem psicanalítica. A análise das entrevistas permitiu identificar questões relevantes acerca da constituição dos vínculos afetivos de tais pacientes. Ambas apresentam um ego fragilizado, que teve sua origem na falha de experiências de cuidados iniciais básicos, devido a uma falta de vinculação primária efetiva com o outro. A necessidade atual de uma proximidade com o outro revela a importância da constituição de vínculos afetivos consistentes como tentativa de reconstituição da confiança básica e, da ligação da pessoa com o seu centro de sustentação interna que se encontra prejudicado.


Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais

ISSN Impresso: 1413-4063
ISSN Eletrônico: 2594-3871


Psicologia Revista  está indexada em: