Toxicomania e posições subjetivas: uma dialética entre o prazer e o gozo

Ana Paula Paes de Paula

Resumo


A literatura evidencia que o fenômeno da toxicomania não se deixa reduzir a qualquer classificação ou estrutura psicopatológica, pois oscila entre a neurose, a perversão e a psicose. Neste artigo, o objetivo é propor uma alternativa para analisar a toxicomania, respeitando a variabilidade do fenômeno e auxiliando na sua clínica. Para isto, na primeira parte, situamos a toxicomania na perspectiva psicanalítica, discutindo a dialética entre o prazer e o gozo. Na segunda parte, abordamos a dificuldade de classificação da toxicomania do ponto de vista psicopatológico. Na terceira parte, recorremos ao conceito de posição subjetiva de Minerbo para substituir o conceito de estrutura psicopatológica e para apresentar a seguinte hipótese: o toxicômano “desliza” entre diferentes posições subjetivas, pois a dependência evolui de forma não-linear em função do nível de resolução dos estágios do desenvolvimento psíquico que vivenciou e das circunstâncias que enfrenta. Concluímos que a identificação destas posições subjetivas e da sua dinâmica pode ser útil na clínica da toxicomania.


Palavras-chave


toxicomania; psicanálise; psicopatologia; prazer; gozo

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais

ISSN Impresso: 1413-4063
ISSN Eletrônico: 2594-3871


Psicologia Revista  está indexada em: