Furtos de Bagatelas e Sofrimento Social: uma Interlocução com o pensamento winnicottiano

Maria Julia Souza Chinalia, Natália Del Ponte de Assis, Carlos Del Negro Visintin, Tânia Maria José Aiello-Vaisberg

Resumo


Este estudo objetiva investigar psicanaliticamente a experiência emocional de mulheres presas por furtos de bagatelas, justificando-se na medida em que há interesse, a partir de uma perspectiva clínica social, pelo desenvolvimento de práticas psicoprofiláticas e psicoterapêuticas direcionadas à população carcerária feminina. A investigação organizou-se metodologicamente por meio da abordagem psicanalítica das comunicações de mulheres em um documentário nacional intitulado “Bagatela”. Sucessivas exposições ao material, em estado de atenção flutuante e associação livre de ideias,permitiram a produção interpretativa de um campo de sentido afetivo-emocional intitulado “Cadê o leite do meu neto?”. Este campo se organiza ao redor da crença de que o outro, imaginado como poderoso, deve atender às necessidades vitais das pessoas. O quadro geral indica que condições de pobreza e desigualdade social geram efeitos subjetivos de desamparo, humilhação e injustiça nas autoras dos furtos. Pondera-se que a teoria winnicottiana, que vincula privação afetiva à delinquência, pode ser produtivamente ampliada se a tendência antissocial for considerada como expressão sintomática de sofrimento socialmente determinado.


Palavras-chave


Mulheres presas; Furto de Bagatelas; Método Psicanalítico

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/2594-3871.2018v27i1p35-56

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2018 Psicologia Revista. Revista da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde. ISSN 1413-4063

ISSN Impresso: 1413-4063
ISSN Eletrônico: 2594-3871


Psicologia Revista  está indexada em: