A incidência do supereu no gozo toxicomaníaco e a contingência no percurso do tratamento

Polyana Barbosa Schimith, Geraldo Alberto Viana Murta, Sávio Silveira de Queiroz

Resumo


Este estudo teve como objetivo investigar a função do supereu, e de seu imperativo de gozo na toxicomania, e a consequente participação da culpa, além das condições de possibilidade de rompimento dessa relação entre o sujeito e a droga. Por meio do referencial psicanalítico, compreende-se que, na toxicomania, trata-se de uma relação de gozo entre um sujeito e o objeto droga, na qual, por vezes, o sujeito se reduz à própria droga. Este é um estudo qualitativo, em que foram realizados cinco estudos de caso. Para coleta de dados, foi utilizada uma série de quatro entrevistas semiestruturadas com cada um dos cinco participantes que, no momento da coleta, encontravam-se em um tratamento de internação para toxicomania. Os resultados foram apresentados no formato de cinco fragmentos. As análises foram realizadas a partir das contribuições do ensino psicanalítico. Os principais resultados apontam que, na prática clínica, é delicado fortalecer o supereu por meio da culpa. Quanto ao rompimento da relação com a droga, ela ocorreu sempre de maneira imprevisível.


Palavras-chave


toxicomania; supereu; culpa; contingência

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/2594-3871.2019v28i1p61-77

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 Psicologia Revista

ISSN Impresso: 1413-4063
ISSN Eletrônico: 2594-3871


Psicologia Revista  está indexada em: