A palavra religiosa como uma variante da ‘palavra autoritária’ em Bakhtin

Beatriz Gutiérrez Mueller

Resumo


Segundo Mikhail Bakhtin, a ‘palavra monológica’ não é realizada no diálogo; dela se depreende a ‘palavra autoritária’ que, como seu próprio nome indica, provém da autoridade, legal ou eclesiástica, do professor ou dos pais. Sua característica, como se escuta no discurso religioso, é a de não permitir a discussão; pede ser reconhecida e assimilada por nós. Entretanto, é possível que tal palavra, ainda que ‘de outrem’, seja convincente, incorporando-se ao nosso discurso com plena consciência; sendo assim, pode inclusive ser considerada ‘palavra dialógica’. Para explicá-la melhor, a ‘palavra autoritária’ será vinculada a enunciados dogmáticos próprios das religiões, como o judaísmo e o islã, e, sobretudo, do cristianismo católico.


Palavras-chave


Mikhail Bakhtin; Palavra autoritária; Dogmas; Cristianismo; Religiões

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.