A introdução de Benjamin Moser a Crônica da casa assassinada: o biografismo literário e a valorização da informação frívola

Ludimila Moreira Menezes, Breno Couto Kümmel

Resumo


A literatura brasileira vem ganhado cada vez mais espaço no mercado internacional nos anos mais recentes. Aproveitando colocações do estudioso americano Charlie Rosen sobre as críticas de Walter Benjamin a colocar a biografia como centro interpretativo de uma obra literária, o artigo investe em uma visada de crítica às considerações interpretativas e biográficas empreendidas pelo crítico Benjamin Moser diante da publicação em inglês do romance Crônica da casa assassinada, de Lúcio Cardoso, traduzido por Margaret Jull Costa e Robin Patterson. Parte-se da apresentação assinada por Benjamin Moser para dela destacar e problematizar certo projeto que se perfaz sob o signo da escrita biográfica e de cunho personalista que pouco se detém sobre o conteúdo do romance.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1983-4373.2017i19p181-196

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: