A entrada na Europa e a expansão inicial do eucalipto em Portugal Continental

João Paulo Cabral

Resumo


Resumo

As primeiras observações e recolhas de eucaliptos ocorreram nas grandes viagens inglesas e francesas ao Pacífico, em particular à Austrália, em finais do século XVIII. O género Eucalyptus L'Hér. foi estabelecido em 1788, e logo nas duas décadas seguintes seriam descritas, por botânicos franceses e ingleses, muitas espécies novas. O primeiro eucalipto cultivado em Inglaterra foi trazido, em 1774, na segunda viagem de James Cook. Em França, a introdução terá sido feita em 1804, no Jardim Botânico de Montpellier, na Alemanha em 1809, no Jardim Botânico de Berlim, e em Itália, em 1813, no Jardim Botânico de Nápoles. Em Portugal, a introdução do eucalipto foi muito posterior a estas datas. Na propriedade do duque de Palmela no Lumiar, foram plantados dois eucaliptos em 1850-1852. No Horto Botânico da Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa, existia em 1852, pelo menos um espécimen, certamente para uso ou demonstração das suas propriedades terapêuticas. A partir da década de 1860, a expansão foi muito rápida. Em 1869, a companhia real dos caminhos-de-ferro portugueses iniciou a plantação de eucaliptos nas estações, casas de guarda e ao longo da via-férrea. As primeiras plantações em larga escala terão ocorrido na década de 1880 em propriedades perto de Abrantes arrendadas por William T. Tait. Em 1886 estavam já plantados 150 mil eucaliptos. Nesta mesma década começou a plantação, em escala apreciável, de eucaliptos nas Matas Nacionais. Em finais do século XX, tinham sido introduzidas em Portugal cerca de 250 espécies, sendo o Eucalyptus globulus Labill., a espécie largamente dominante. É interessante constatar que tendo sido um dos países europeus que mais tarde introduziu a cultura do eucalipto, Portugal é hoje, a nível mundial, um dos que apresenta maior percentagem da sua área florestal dedicada a esta cultura.

Palavras-chave: eucalipto; jardins botânicos; Portugal. Abstract

The earliest observations and collections of eucalypts occurred on the great English and French voyages to the Pacific, particularly Australia, in the late 18th century. The genus Eucalyptus L'Hér. was described in 1788, and soon in the following two decades, many species would be described by French and English botanists. The first eucalypt grown in England was brought in 1774 on James Cook's second voyage. In France, the introduction seems to have occurred in 1804, at the Botanical Garden of Montpellier, in Germany in 1809, at the Botanical Garden of Berlin, and in Italy, in 1813, at the Botanical Garden of Naples. In Portugal, the introduction of eucalypts was much later than these dates. In the property of the Duke of Palmela in Lumiar, two eucalypts were planted in 1850-1852. The Botanical Garden of the Medical-Surgical School of Lisbon had in 1852, at least one specimen, certainly for use or demonstration of its therapeutic properties. From the 1860s the expansion was very rapid. In 1869, the royal company of the Portuguese railways began planting eucalypts in the stations, guard houses and along the railroad. The first large-scale plantations occurred in the 1880s in properties near Abrantes leased by William T. Tait. By 1886, 150,000 eucalypts were already planted. In the same decade began the planting, on an appreciable scale, of eucalypts in “Matas Nacionais”. By the end of the 20th century about 250 species had been introduced in Portugal, being Eucalyptus globulus Labill., the species largely dominant. It is interesting to note that Portugal, one of the European countries that later introduced the eucalypt, is today, worldwide, one of the countries with the highest percentage of its forest area dedicated to this culture.

Keywords: eucalypt; botanical gardens; Portugal.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/2178-2911.2019v20espp18-27