Iconografia Selecta da Flora Portuguesa – A ilustração científica no dealbar do séc. XX e o seu contributo na divulgação da botânica

Eva Malainho, Fernando Jorge Simões Correia, Cristiana Vieira

Resumo


Resumo

A obra “Iconografia Selecta da Flora Portuguesa”, de Gonçalo Sampaio (botânico) e Sara Cabral Ferreira (ilustradora), foi editada pela primeira vez em 1949. Contendo cento e cinquenta estampas de espécies da flora portuguesa, este livro destacou-se na literatura botânica nacional, embora fosse uma edição póstuma e incompleta. Os seus desenhos originais, realizados em técnica monotonal (tinta-da-china), integram atualmente a coleção de ilustração científica do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto (MHNC-UP). Uma vez que nenhum texto, além do prefácio e dos nomes científicos das plantas, acompanha as imagens no livro, as razões que sustentaram a seleção das espécies a ilustrar, assim como a sua relevância botânica, permaneceram desconhecidas. Neste artigo, tentamos reconstruir a história desta iconografia, com base na análise de documentos epistolares e manuscritos. Focamo-nos também na importância da ilustração científica e no seu uso como ferramenta para a representação visual de espécies botânicas e para a comunicação de ciência. Assim, analisamos a metodologia empregue, quer na tipologia do arquétipo, quer na técnica de execução, bem como as eventuais restrições que conduziram a essas opções. Ao analisar estas ilustrações botânicas da primeira metade do séc. XX, procurou-se ainda explorar a pertinência destas iconografias em estudos botânicos anteriores e contemporâneos, bem como o seu potencial enquanto instrumentos de difusão de ciência.

Palavras-chave: Ilustração Científica; Flora Portuguesa; História da Botânica.

Abstract

The book “Iconografia Selecta da Flora Portuguesa”, by Gonçalo Sampaio (botanist) and Sara Cabral Ferreira (illustrator), was first published in 1949. Containing one hundred and fifty prints of Portuguese flora species, this book stood out in the national botanical literature, although it was a posthumous and incomplete edition. The original book drawings, made in a monotonic technique, are part of the scientific illustration collection of the Museum of Natural History and Science of the University of Porto (MHNC- UP). Since no text, besides preface and the scientific names of the plants, accompanies the images in the book, the reasons which supported the selection of the species to be illustrated, as well as their botanical relevance, remained unknown. In this article, we attempted to reconstruct the history of this iconography, based on the analysis of epistolary documents and manuscripts. We also focus on the importance of scientific illustration and on its usage as a tool for the visual representation of botanical species and for science communication. Therefore, we analyzed the methodology used both in the typology of the archetype as in the execution techniques, as well as the restrictions that led to those options. By analyzing these botanical drawings of the first half of the twentieth century, it was also sought to explore the relevance of these iconographies in earlier and modern botanical studies, as well as their potential as instruments of diffusion of science.

Keywords: Scientific Illustration; Portuguese Flora; History of Botany.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/178-2911.2019v20espp497-511

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM