A UBERIZAÇÃO DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DE ESCOLAS ESTADUAIS DE SÃO PAULO: ESTRATÉGIAS PARA PROLETARIZAÇÃO DOCENTE?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23925/2764-8389.2022v1i1p216-240

Palavras-chave:

Coordenação Pedagógica, Formação de Professores, Escola Pública

Resumo

Este texto tem como objetivo: Apresentar reflexões sobre os conceitos de proletarização e uberização da educação, e a partir disso contextualizar a atual situação da coordenação pedagógica de escolas públicas da rede estadual de São Paulo, para assim compreender que a ausência de pedagogos (as) nas coordenações desta rede de ensino pode ser uma via para a proletarização docente. A metodologia empreendida contou com a análise documental e de literatura sobre o tema estudado (LUDKE, ANDRÉ, 2018). Contamos com Venco (2019), Contreras (2012) e Hypolito (1991) entre outros (as) autores (as) que nos deram suporte para tais reflexões. Com a discussão apresentada é possível inferir que há na SEE SP indícios de uberização docente via Coordenação Pedagógica, pois as perdas de autonomia, a fragmentação do trabalho, entre outras características presentes na Coordenação estudada, incidem diretamente no trabalho docente.

Biografia do Autor

Michael de Oliveira Lemos, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)

Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC SP) – 2021 Mestrando em Educação pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) - 2021. Especialista em Educação pela Universidade de São Paulo (USP) - 2012 e em Gestão da Aprendizagem, pela Universidade Brás Cubas (UBC) - 2019. Licenciado em História, pela Universidade Metropolitana de Santos (UNIMES) - 2014 e em Pedagogia pela Faculdade Anhanguera de São Caetano - 2010. Atualmente é pesquisador no Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Escola Pública, Infâncias e Formação de Educadores (Gepepinfor). E mail: michael.lemos@unifesp.br. Curriculo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8187756062966016. ORCID ID: https://orcid.org/0000-0001-5574-5534. Unifesp. Brasil

Referências

ALMEIDA. L. R. O coordenador pedagógico e a questão do cuidar. In: ALMEIDA, L. R.; PLACCO. V. M. N. S. (Orgs.). O coordenador pedagógico e as questões da contemporaneidade. São Paulo: Loyola, 2015, p. 41-60.

ALMEIDA. L. R. Orientação Educacional e Coordenação Pedagógica no Estado de São Paulo: avanços, recuos, contradições (parte I). Psic. da Ed., São Paulo, 48, p. 111-118, 1º sem. 2019a. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/index.php/psicoeduca>. Acesso em: 03 nov. de 2020.

ALMEIDA. L. R. O coordenador pedagógico e a questão do cuidar. In: ALMEIDA, L. R.; PLACCO, V. M. N. S. (Orgs.). O coordenador pedagógico e as questões da contemporaneidade. São Paulo: Loyola, 2015, p. 41-60.

ALMEIDA. L. R. Orientação Educacional e Coordenação Pedagógica no Estado de São Paulo: avanços, recuos, contradições (parte II). Psic. da Ed., São Paulo, 49, p. 117-121. 2º sem. 2019b. Disponível em: Acesso em: 03 nov. 2020.

APPLE, Michael W.; Apple, TEITELBAUN, Kenneth. Está o professorado perdendo o controle de suas qualificações e do currículo? Teoria & Educação, Campinas, n. 4,1991.

AZANHA, J. M. P. Educação: alguns escritos. São Paulo: Editora Nacional, 1983. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/ep/v30n2/v30n2a15.pdf>. Acesso em: 27 mar. 2021.

BRUNO, E. B. G.; CHRISTOV, L. H. S. Reuniões na escola: oportunidade de comunicação e saber. In: BRUNO, E. B. G.; ALMEIDA, L. R.; CHRISTOV, L. H. S. (Orgs.). O coordenador pedagógico e a formação docente. São Paulo: Loyola, 2015, p. 56-64.

CONTRERAS, J.A autonomia de professores. Trad. Sandra Trabucco Valenzuela. 2. ed., São Paulo: Cortez, 2012. (Parte 1 – p.33-91).

FANFANI, Emílio Tenti. La condición docente: datos para el análises comparado: Argentina, Brasil, Perú y Uruguay. Buenos Aires: Siglo Vientiuno, 2005.

GATTI, B. A. Formação de Professores no Brasil: Características e Problemas. Educ. Soc., Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out.- dez. 2010. Disponível em <https://www.scielo.br/pdf/es/v31n113/16> Acesso em 10 março de 2021.

HYPOLITO. A. M. Processo de Trabalho na escola: algumas categorias para análise IN: APPLE, Michael W.; Apple, TEITELBAUN, Kenneth. Está o professorado perdendo o controle de suas qualificações e do currículo? Teoria & Educação, Campinas, n. 4,1991.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Tradução de Júliana dos Santos Padilha. Porto Alegre: Artmed, 2010.

LEMOS. M.O. Orientação técnica para coordenadores pedagógicos: marcas da atuação de seus formadores. 2021.173 f. Dissertação (Mestrado em Educação: Formação de Formadores) - Programa de Estudos Pós Graduados em Educação: Formação de Formadores. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. 2021.

LÜDKE, M. & ANDRÉ, M. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 2018

NÓVOA. A. Nada substitui um bom professor: propostas para uma revolução no campo da formação de professores. IN: GATTI, B. A. et al (orgs.) Por uma política nacional de formação de professores. São Paulo: Editora UNESP,2013.

PEREIRA, R. O desenvolvimento profissional de um grupo de coordenadoras pedagógicas iniciantes: movimentos e indícios de aprendizagem coletiva, a partir de uma pesquisa – formação. 2017. 251 f. Tese (Doutorado em Educação: Psicologia da Educação) – Programa de Estudos Pós Graduados em Educação: Psicologia da Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2017.

PLACCO. V.M.S.N., ALMEIDA.L. R. , SOUZA, V.L.T. O coordenador pedagógico e a formação de professores: Intenções, Tensões e Contradições. 2011. Disp. em . Acesso em: 25. out. 2021.

RODRÍGUEZ, Margarita Victoria. A pesquisa documental e o estudo histórico de políticas educacionais. Caderno de Cultura, n.7, maio/2004.

SÃO PAULO (Estado). Lei Complementar nº 114, de 13 de novembro de 1974. Institui o Estatuto do Magistério Público de 1.º e 2.º graus do Estado e dá providências correlatas. Diário Oficial – Executivo, São Paulo, 14 nov. 1974, p. 4.

SÃO PAULO (Estado). Decreto nº 7709, de 18 de março de 1976. Reorganiza a Secretaria da Educação e dá providências correlatas. Diário Oficial – Executivo. Caderno 1, São Paulo, 18 março. 1976, p. 1.

SÃO PAULO (Estado). Decreto nº 57.141, de 18 de julho de 2011. Reorganiza a Secretaria da Educação e dá providências correlatas. Diário Oficial – Executivo. Caderno 1, São Paulo, 19 jul. 2011, p. 1.

SÃO PAULO (Estado). Resolução SE nº 62, de 11 de dezembro de 2017. Dispõe sobre o desenvolvimento e a oferta de cursos e orientações técnicas para os integrantes do Quadro do Magistério – QM, na conformidade das competências e atribuições estabelecidas para a Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Professores do Estado de São Paulo “Paulo Renato Costa Souza” – EFAP, pelo Decreto 57.141, de 18-7-2011. Diário Oficial – Executivo, Seção I, São Paulo, 12 dez. 2017.

SÃO PAULO (Estado). Diretoria de Ensino – Região de Osasco. Edital de credenciamento para professores coordenadores do núcleo pedagógico – PCNP. 2020. Disponível em: Acesso em: 23 out. 2020.

SILVA. J. M. S. Diferentes caminhos para a formação docente: estratégias empregadas por coordenadores pedagógicos. 2019. 278 f. Tese (Doutorado em Educação: Psicologia da Educação) – Programa de Estudos Pós Graduados em Educação: Psicologia da Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2019.

VENCO, Selma. Uberização do trabalho: um fenômeno de tipo novo entre os docentes de São Paulo, Brasil? Cadernos de Saúde Pública, 35, Sup. 1: e00207317, p. 1-17, 2019.

ZEICHNER, K. M. A formação reflexiva de professores: ideias e práticas. Lisboa: Educa, 1993.

Downloads

Publicado

2022-07-31 — Atualizado em 2022-08-25

Edição

Seção

Artigos