A constituição prosódica da enunciação na relação mãe-bebê

Angelina Vasconcelos, Nadja Vieira, Ester Scarpa

Resumo


No presente estudo de casos, discutimos a produção de sentidos carregados com elementos prosódicos no começo da vida. Alinhamos essa discussão com observações de Bakhtin acerca de características da enunciação. Com esse alinhamento investimos em explicações sobre o status linguístico da prosódia nos diálogos entre adulto e bebês em situação de aquisição de linguagem. Os dados foram registros videográficos da interação de duas díades adulto-criança, uma francesa e uma brasileira, durante atividades cotidianas[1]. Nas análises, comparamos variações da curva entonacional dos enunciados dos adultos com vocalizações dos bebês. Nos resultados discutimos como essas variações refletiram exercícios de posições axiológicas, discutidas no âmbito da apropriação enunciativa. Concluímos que os aspectos prosódicos são recursos principais para enunciação no começo da vida e vinculam as práticas com a linguagem ao desenvolvimento humano.


[1] Os dados referentes à criança francesa são públicos e encontrados em CHILDEs https://media.talkbank.org/phonbank/French/Paris/Madeleine/; quanto à criança brasileira, o número do processo de ética que aprovou o procedimento é CAAE: 00784312.3.0000.5208.


Palavras-chave


Aquisição da linguagem; Prosódia; Enunciação; Desenvolvimento humano

Texto completo:

PDF PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.