Os imigrantes no DEOPS-SP: o caso dos portugueses

Alfredo Moreno Leitão

Resumo


O objetivo deste artigo é mostrar que o processo de modernização da cidade de São Paulo, idealizado pelas elites econômicas, vai esbarrar com algo que era visto como um problema: as camadas pobres da população, composta por nacionais e imigrantes. O projeto visava uma cidade “civilizada e ordeira”, e a população pobre representava o oposto, era vista como “imoral, suja e perigosa”. Para manter esta parcela da sociedade sobre controle, o Estado vai adotar diversas medidas, entre elas, a criação de uma polícia mais aparelhada e repressiva. É neste momento que é criada a Delegacia de Ordem Política e Social, que tem por função, principal, a repressão a qualquer manifestação que ponha em risco a ordem pública. Os estrangeiros, vistos como fomentadores de idéias subversivas, serão o principal alvo da Delegacia. Dentre os estrangeiros punidos pelo DEOPS, estão uma parcela de portugueses que participaram de diversas atividades e organizações vistas como “subversivas”. São estes portugueses meus objetos de pesquisa que estão sendo analisados durante meu mestrado.

Palavras-chave


Imigração; Portugueses; DEOPS-SP

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.