AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA ALIADA AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM: do trabalho documental às representações sociais

Matheus Souza de Almeida, Ross Alves do Nascimento

Resumo


Este artigo busca analisar as representações sociais de (futuros) professores de matemática sobre a avaliação da aprendizagem. Partindo de orientações oferecidas na Abordagem Documental do Didático (ADD), elaboramos um novo esquema referente às naturezas dos recursos do trabalho do professor, que pudesse centralizar o debate nos recursos utilizados para avaliar. Nesse propósito, fizemos um levantamento dos projetos pedagógicos dos cursos de Licenciatura em Matemática de três universidades públicas de Pernambuco quanto às acepções de avaliação propostas nesses documentos. Posteriormente, confrontamos as narrativas de oito licenciandos e de uma formadora de uma dessas instituições analisadas, à luz da ADD e da Teoria das Representações Sociais. Nossa preocupação foi de entender como se observa a avaliação em matemática e, em particular, a implementada no componente curricular Cálculo MII pela referida docente. Para o tratamento dos dados, empregamos a Análise Textual Discursiva, que se desenvolveu em três movimentos: unitarização, categorização e produção de metatextos. Dessa análise, observamos que, em geral, os documentos curriculares e os docentes revelam a necessidade de estabelecer diálogos entre a avaliação formativa e a somativa. Em suma, este estudo defende que o processo de documentação do professor de matemática acerca da avaliação da aprendizagem é relevante e carece de reflexões.


Palavras-chave


Representações sociais; Abordagem documental do didático; Análise textual discursiva; Avaliação em matemática.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. S.; NASCIMENTO, R. A.; SILVA, S. R. Avaliação da Aprendizagem nas Aulas de Matemática: olhares interligados sobre o perfil dos cursos de Licenciatura em Matemática das universidades públicas de Pernambuco. REMAT – Revista Eletrônica de Matemática, v. 6, n. 1, pp. 1-18, 2020.

ALMOULOUD, S. A. Avaliação e contrato didático. Fundamentos da didática da matemática. Curitiba: Ed. UFPR, 2007, pp. 97-109.

_________________. Erros e obstáculos. Fundamentos da didática da matemática. Curitiba: Ed. UFPR, 2007, pp. 129-148.

ASSIS, C.; GITIRANA, V.; TROUCHE, L. A metamorfose do sistema de recursos de licenciandos em matemática na formação inicial. Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, v. 6, n. 16, pp. 33-47, 2019.

ESPÍNDOLA, E. B. M. Profissionalidade docente: um estudo sobre as representações sociais de competência para ensinar matemática de professores brasileiros e franceses. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2014.

ESPÍNDOLA, E. B. M. Um caminho metodológico para a análise da relação entre representações sociais e práticas docentes. In: BONA, V.;

ZSCHIESCHE, D. R. O. (Org.). Docência e temas emergentes: percursos metodológicos nos estudos de representações sociais no campo educacional. 1. ed. Recife: UFPE, 2019, v. 1, p. 133-150.

FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológicos. 3ª ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2011, pp. 03-56 [Coleção formação de professores].

FIORENTINI, D; OLIVEIRA, A. T. C. C. O Lugar das Matemáticas na Licenciatura em 138 Matemática: que matemáticas e que práticas formativas? Bolema, Rio Claro (SP), v. 27, n. 47, dez. 2013, p. 917-938.

FREITAS, M. T. M.; FIORENTINI, D. Investigar e Escrever na Formação Inicial do Professor de Matemática. In: FIORENTINI, D.; GRANDO, R. C.; MISKULIN, R. G. S. (Orgs.). Práticas de Formação e de Pesquisa de Professores que Ensinam Matemática. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2009, p. 77-99 [Série Educação Matemática].

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Tradução de Luiz Felipe Baeta Neves. 6.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002.

GUEUDET, G.; TROUCHE, L. Do trabalho documental dos professores: gêneses, coletivos, comunidades: o caso de Matemática. EM TEIA – Revista de Educação Matemática e Tecnológica Iberoamericana, v. 6, n. 3., 2015.

GONÇALVES, F. A. M. F. Estatística no Ensino médio: uma proposta interdisciplinar envolvendo Matemática e Educação Física. 2018. 78 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciência e Tecnologia) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa, 2018.

HOFFMANN, J. Avaliar para promover: as setas do caminho. Porto Alegre: Mediação, 2008.

LÜDKE, M. Práticas avaliativas e aprendizagens significativas: em diferentes áreas do currículo. Org. Janssen Felipe da Silva, Jussara Hoffmann, Maria Teresa Esteban. Ed. Mediação. 6ª ed. Porto Alegre – RS. 2008. p.112.

MACIEL, D. M. A avaliação no processo ensino-aprendizagem de matemática, no ensino médio: uma abordagem formativa sócio-cognitivista. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, 2003.

MAIA, L. S. L. O Que Há de Concreto no Ensino da Matemática? ZETETIKÉ – CEMPEM – FE/UNICAMP – v.9 – n. 15/16, -Jan/Dez.de 2001.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Ciência & Educação, v. 12, n. 1, p. 117-128, 2006.

MUNIZ, M. I. S. A Prática avaliativa nas aulas de matemática. In: O processo de avaliação nas aulas de matemática. LOPES, C. E.; MUNIZ, M. I. S. (Orgs.). Campinas, São Paulo: Mercado das Letras, 2010.

PEDRUZZI, A. N. et al. Análise textual discursiva: os movimentos da metodologia de pesquisa. Atos de Pesquisa em Educação - Blumenau, v. 10, n.2, p.584-604, mai./ago. 2015.

PERRENOUD, P. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens - entre duas lógicas. Porto Alegre: Artmed, 1999.

PIRONEL, M. A avaliação idealizada, o discurso de professores e a prática efetiva na sala de aula de matemática. Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-Graduação em Educação Matemática. Curitiba - PR, 12-14 nov., 2016.

___________. Avaliação para a aprendizagem: a metodologia de ensino-aprendizagem-avaliação de matemática através da resolução de problemas em ação. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Unesp, Rio Claro, 2019.

RABARDEL, P. Les hommes et les technologies : une approche cognitive des instruments contemporains. Paris : Armand Colin, 1995.

SANTOS, L. A articulação entre a avaliação somativa e a formativa, na prática pedagógica: uma impossibilidade ou um desafio? Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v.24, n. 92, p. 637-669, jul./set. 2016.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes. (2002).

TROUCHE et al. A abordagem documental do didático. DAD-Multilingual, 2020. hal-02664943.

ZABALA, A. A Avaliação. A Prática Educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998, pp. 195-221.




DOI: https://doi.org/10.23925/2358-4122.2020v7i2p200-224

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Ensino da Matemática em Debate

Indexadores:

      

  


Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional