A inclusão de estudantes com deficiência visual no Ensino Superior em cursos de exatas: um relato de caso

Pedro Paixão Borges, Claudia C. de Segadas-Vianna

Resumo


Nos últimos anos, podemos observar um aumento do número de matrículas de pessoas com deficiência visual no Ensino Superior. Particularmente no caso de cursos de exatas, onde estes alunos estão historicamente pouco presentes, esses novos perfis estudantis acabam por evidenciar a pouca preparação estrutural e metodológica das universidades para o estabelecimento de práticas inclusivas. Dessa maneira, torna-se necessário compreender de forma mais clara como se dá o processo de inclusão desses alunos nos espaços universitários, apontando os entraves encontrados e divulgando estratégias bem-sucedidas de ensino-aprendizagem. No presente trabalho, realizamos uma entrevista com um estudante cego matriculado no segundo período do curso de Engenharia em uma universidade pública do Estado do Rio de Janeiro. Através do relato de sua trajetória escolar e universitária, analisamos os obstáculos e sucessos encontrados por este aluno, apresentando algumas especificidades do ensino de Matemática para alunos com deficiência visual e apontando possíveis caminhos para uma universidade mais inclusiva.


Palavras-chave


Ensino Superior; Deficiência Visual; Inclusão; Exatas; Universidade

Texto completo:

PDF

Referências


BONI, V.; QUARESMA, S. J. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em ciências sociais. Em Tese, Florianópolis, v. 2, n. 1, p. 68-80, jan. 2005. ISSN 1806-5023. Disponível em: . Acesso em: 04 jun. 2020.

BORGES, P. A. P.; MORETTI, M. T. A transformação das relações com o saber matemático de alunos ingressantes na universidade. Revista Acta Scientiae, Canoas, v. 18, n.1, p. 580-596, 2016.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Adaptações Curriculares. Brasília: MEC/SEF/SEESP, 1998.

BRASIL. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho nomeado pela portaria n. 555/2007, prorrogada pela portaria n. 948/2007, entregue ao ministro da Educação em 7 de janeiro de 2008. Brasília, DF, jan. 2008. Disponível em: . Acesso em 17 mai. 2020.

BRASIL. Decreto nº 6.949, de 25 de ago. de 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. Diário Oficial da União, Brasília, 26 ago. 2009. Disponível em: ; acesso em: 17 mai. 2020.

BRASIL. Ministério da Economia. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: . Acesso em 13 jun. 2020.

BRASIL. Lei n. 13.146, de 6 de jul. de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência. Diário Oficial da União, Brasília, 6 jul. 2015. Disponível em: Acesso em: 17 mai. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Diretoria de Estatísticas Educacionais (DEEd). Censo Escolar da Educação Básica 2017. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, 2018. Disponível em: . Acesso em 9. mai. 2019

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior 2018. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, 2019. Disponível em: . Acesso em: 18 jun. 2019.

DIAS, A. et al. Matemática, Computação e Braille: Desafios da Pedagogia, da Semiótica e da Síntese da Fala. In: Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação - SBIE), 2018, Fortaleza. Anais... Fortaleza: SBC, 2018. p. 1863-1868. Disponível em: . Acesso em: 02 jun. 2020.

FERNANDES, S. H. A. A. Uma análise Vygotskiana da apropriação do conceito de simetria por aprendizes sem acuidade visual. São Paulo, 2004. 300 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2004.

FERNANDES, S. H. A. A.; HEALY, L. Ensaio sobre a inclusão na Educaçâo Matemática. Revista Iberoamericana de Educación Matemática, Madri, v.1, n. 10, p. 59-76, jul. 2007. Disponível em: . Acesso em 02. abr. 2019.

FERRARI, M. A. L. D.; SEKKEL, M. C. Educação inclusiva no ensino superior: um novo desafio. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 27, n. 4, p. 636-647, dez. 2007. Disponível em . Acesso em 22 mai. 2020.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

GALVÃO FILHO, T. A. A Tecnologia Assistiva: de que se trata? In: MACHADO, G. J. C.; SOBRAL, M. N. (Orgs.). Conexões: educação, comunicação, inclusão e interculturalidade. Porto Alegre: Redes Editora, 2009. p. 207-235. Disponível em . Acesso em 2 jun. 2020.

MIRANDA, E. T. J. O aluno cego no contexto da inclusão escolar: desafios no processo de ensino e de aprendizagem de Matemática. 2016. 167f. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências, Campus Bauru, 2016.

MARTINS, S. E. S. O.; GOMEZ, A. J. V.; FERNANDES, Y. Z.; BE-NETTI, C. S. Inclusão de universitários com deficiência na educação superior: o que dizem as pesquisas no Brasil e Uruguai. Jornal de Políticas Educacionais. Curitiba, v. 11, n. 17, p. 1-25. nov. 2017. Disponível em . Acesso em 14. jun. 2020.

MASINI, E. F. S. O perceber e o relacionar-se do deficiente visual: orientando professores especializados [e-book]. 1. ed. Brasília: Corde, 1994.

MOREIRA, L. C. In(ex)clusão na universidade: o aluno com necessidades educacionais especiais em questão. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 1, n. 25, p 37-48, 2005. Disponível em: . Acesso em: 13 jun. 2020.

PACHECO, R. V.; COSTAS, F. A. T. O processo de inclusão de acadêmicos com necessidades educacionais especiais na Universidade Federal de Santa Maria. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 1, n. 27, p. 151-170, 2006. Disponível em . Acesso em 14 jun. 2020.

PEREIRA, T.; BORGES, F. A. A inclusão de alunos DV's nas aulas de Matemática: o caso Lucas. In: VII Encontro de Educação Matemática do Estado do Rio de Janeiro, 2018, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: SBEM, 2018, p. 1-12. Disponível em . Acesso em 1. jun. 2020.

REGIANI, A. M.; MÓL, G. S. Inclusão de uma aluna cega em um curso de licenciatura em Química. Ciênc. educ. (Bauru), Bauru, v. 19, n. 1, p. 123-134, 2013. Disponível em . Acesso em 1 jun. 2020.

ROCHA, T. B.; MIRANDA, T. G. Acesso e permanência do aluno com deficiência na instituição de ensino superior. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 22, n. 34, p. 197-211, set. 2009. ISSN 1984-686X. Disponível em: . Acesso em 3 jun. 2020.

RODRIGUES, D. A inclusão na universidade: limites e possibilidades da construção de uma universidade inclusiva. Revista Educação Especial, Santa Maria, v.1, n. 23, p. 9-15, 2004. Disponível em: Acesso em 3 jun. 2020.

ROSA, F. M. C.; BARALDI, I. M. Narrativas de si: o que professores (de Matemática) e alunos com deficiência visual contam sobre suas formações?. RPEM, Campo Mourão, v. 6, n. 10, p. 118-134, jan.-jun. 2017. Disponível em: . Acesso em 1. jun. 2020.

SANTOS, F. C. As disciplinas de exatas e o processo de ensino para alunos com deficiência visual na Universidade Federal do Sergipe. Aracaju, 2014, 127f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) - Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, 2014.

SILVA, G. P. Análise de evasão no ensino superior: uma proposta de diagnóstico de seus determinantes. Avaliação (Campinas), Sorocaba, v. 18, n. 2, p. 311-333, jul. 2013. Disponível em . Acesso em 13 jun. 2020.

SILVA. W. D. A.; DAMASCENO, M. M. S. A Química no contexto da Educação Especial: o professor, o ensino e a deficiência visual. Rede-quim, Recife, v. 1, n. 1, p. 20-28, out. 2015.

SILVA, A. M. C.; CABRAL, C. A. F.; SALES, E. R. Percepções de Alunos Cegos sobre sua Formação: contribuições no ensino e aprendizagem de matemática em classes inclusivas. Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), Campo Grande, v. 11, n. 27, p. 900-915, 2018. Disponível em: . Acesso em 14. jun. 2020.

TONTINI, G.; WALTER, S. A. Pode-se identificar a propensão e reduzir a evasão de alunos?: ações estratégicas e resultados táticos para instituições de ensino superior. Avaliação (Campinas), Sorocaba, v. 19, n. 1, p. 89-110, mar. 2014. Disponível em . Acesso em 14 jun. 2020.

YOSHIKAWA, R. C. S. Possibilidades de aprendizagem na elaboração de materiais didáticos de Biologia com educandos deficientes visuais. São Paulo, 2010, 149 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.




DOI: https://doi.org/10.23925/2358-4122.2020v7i3p376-402

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Ensino da Matemática em Debate

Indexadores:

      

  


Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional