Twitteratura: aproximando letramento literário e letramento digital

Vinicius Carvalho Pereira, Cristiano Maciel

Resumo


As práticas de letramento literário da escola brasileira voltam-se majoritariamente para textos em suporte impresso, embora parte significativa da produção literária contemporânea em língua portuguesa venha sendo feita em suporte eletrônico ou digital. Tal disjunção se deve, entre outros fatores, à predominância de obras canônicas no currículo escolar, à natureza impressa do livro didático e a um entendimento restrito do que seja o texto literário. Por outro lado, assistimos ao uso crescente de aparelhos celulares e smartphones em sala de aula, raramente articulado ao processo de ensino-aprendizagem, ainda que esses dispositivos possam integrar práticas de letramento literário na esfera digital. No presente artigo, discutem-se questões teórico-metodológicas acerca do uso, em sala de aula, de celulares e smartphones para o trabalho com um gênero literário emergente: a Twitteratura. Da página à tela, do ponto ao pixel, novos entendimentos do literário podem ser introduzidos no currículo escolar, propiciando uma compreensão mais ampla sobre as relações sobredeterminantes entre linguagem, sociedade e tecnologia.


Palavras-chave


Twitteratura; Smartphones; Letramento literário; Letramento digital

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1983-4373.2017i18p60-77

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: