Os desvios da verossimilhança: um estudo sobre O vermelho e o negro à luz das reflexões de Erich Auerbach e Jacques Rancière

Miriam Mendonça Martins

Resumo


Este artigo objetiva apresentar as principais considerações que Erich Auerbach e Jacques Rancière elaboraram em torno do romance O vermelho e o negro do escritor francês Stendhal. Ambos os autores apresentam pontos de vista dissonantes quanto à importância desse romance para o desenvolvimento do realismo literário francês. Enquanto Auerbach argumenta que O vermelho e o negro, em grande parte, representa a realidade de maneira séria e comprometida com a verossimilitude histórica; Rancière pondera que há nesse romance elementos narrativos que transgridem as regras de verossimilhança nas quais o regime representativo encontra-se erigido. 


Palavras-chave


Crítica literária; Verossimilhança; Representação

Texto completo:

PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.23925/1983-4373.2018i20p187-204

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em:

Apoio: