Os saberes e fazeres dos psicólogos no campo das violações dos direitos humanos na infância

Autores

  • Sônia Regina Corrêa Lages Departamento de Psicologia, UFMG
  • Verônica de Paiva Perroni Silva UFMG
  • Natália Caroline de Freitas Soares UFMG

DOI:

https://doi.org/10.23925/2594-3871.2017v26i2p.323-335

Palavras-chave:

direitos humanos, infância, produções científicas

Resumo

Este texto revisa a produção da psicologia sobre as práticas dos seus profissionais no campo da violação dos direitos humanos na infância, considerando que crianças e adolescentes no Brasil, apesar do ECA, ainda não se tornaram sujeitos de direitos. Enfatiza-se a importância dos saberes e práticas da psicologia nesse campo, no sentido de que sua atuação seja pautada por uma visão crítica da construção das desigualdades e da reprodução de estigmas que impedem a transformação social. O corpus onde incidiu a pesquisa é composto pelas teses e dissertações publicadas no Portal Domínio Público, na Biblioteca de Teses e Dissertações da USP e nas revistas de psicologia indexadas na Qualis-Capes e na Rede Scielo. Este estudo preliminar apontou para uma baixa produção no referido tema, o que limita a atuação da psicologia nas políticas públicas para a efetivação dos direitos de crianças e adolescentes.

Biografia do Autor

Sônia Regina Corrêa Lages, Departamento de Psicologia, UFMG

Professora de graduação e pós-graduação em Psicologia, UFMG.

Verônica de Paiva Perroni Silva, UFMG

Estudante de psicologia, bolsista de pesquisa, UFMG

Natália Caroline de Freitas Soares, UFMG

Estudante de psicologia, UFMG

Downloads

Publicado

2017-11-15

Como Citar

Lages, S. R. C., Silva, V. de P. P., & Soares, N. C. de F. (2017). Os saberes e fazeres dos psicólogos no campo das violações dos direitos humanos na infância. Psicologia Revista, 26(2), 323–335. https://doi.org/10.23925/2594-3871.2017v26i2p.323-335

Edição

Seção

Artigos Teóricos