A teologia do cotidiano à luz da esperança - Traços cristãos românticos em Rubem Alves

Fábio Py, Danilo Souza Mendes de Vasconcellos

Resumo


Este artigo analisa as quatro primeiras crônicas do capítulo "eternidade" em Teologia do cotidiano (1994) à luz da tese de doutorado de Rubem Alves, Towards a theology of liberation (1968), depois publicada como Da esperança (1987). O trabalho, então, busca indicar como as ideias dos primeiros escritos dele se fazem presentes em sua fase literária, preocupando-se em entender se estas primeiras teses foram desenvolvidas ou suprimidas de alguma forma, e como elas podem indicar o autor como um cristão romântico.

Palavras-chave


Rubem Alves; Da esperança; Teologia do Cotidiano; Poética; Cristianismo romântico

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, R. Dogmatismo e Tolerância. São Paulo: Loyola, 2004.

ALVES, R. O enigma da religião. Petrópolis, RJ: Vozes, 1975.

ALVES, R. Da Esperança. Campinas, SP: Papirus, 1987.

ALVES, R. Deus morreu - Viva Deus!. Liberdade e fé. Rio de Janeiro. In: Tempo e presen-ça, p. 7-34, 1972.

ALVES, R. A gestação do futuro. Campinas, SP: Papirus, 1986.

ALVES, R. Pai nosso: meditações. São Paulo: Paulus, 2009.

ALVES, R. Perguntaram-me se acredito em Deus. São Paulo: Planeta, 2013.

ALVES, R. O que é religião?. São Paulo: Loyola, 1999.

ALVES, R. Religião e Repressão. São Paulo: Loyola, 2005a.

ALVES, R. O retorno e terno... . Campinas, SP: Papirus, 1992.

ALVES, R. "...Su cadáver estava lleno de mundo". In: Religião e sociedade, v. 23, número especial, p.91-94, 2003.

ALVES, R. Sobre deuses e rezas. In: Tempo e presença, n. 282, jul-ago, p.30-34, 1995.

ALVES, R. Teologia do Cotidiano. São Paulo: Olho dágua, 1994.

ALVES, R. Variações sobre a vida e a morte - ou o feitiço erótico-herético da teologia. São Paulo: Loyola, 2005b.

BERGER, P. O Dossel Sagrado. Rio de Janeiro: Vozes, 1971.

BONHOEFFER, D. Letters and papers from the prison. New York: Macmillan Co., 1965.

BORDIEU, P. A ilusão biográfica. In: AMADO, Janaína e FERREIRA, Marieta de M. Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro:Fundação Getúlio Vargas, 1996. p. 183-191.

BUENO, S. Da soledad castelhana à saudade portuguesa. In: Revista Letras. v. 1, n. 1, p.115-12-, 1953.

CALVANI, C. E. A fronteira é o melhor lugar para adquirir conhecimento – circuntâncias históricas e pessoais da formação de Tillich. In: Estudos de Religião, v. 30, n. 3, set.-dez, p.165-188, 2016.

CERVANTES-ORTIZ, L. O manancial eterno: teologia, poesia e liberdade em Rubem Alves. In: NUNES, A. V. (org.). O que eles pensam de Rubem Alves e de seu humanismo na reli-gião, na educação e na poesia. São Paulo: Paulus, 2007, p. 231-252.

CERVANTES-ORTIZ, L. A teologia de Rubem Alves: Poesia, brincadeira e erotismo. Campinas, SP: Papirus, 2005.

JUNIOR, G. É uma pena não viver: uma biografia de Rubem Alves. São Paulo: Planeta do Brasil, 2015.

LEVI, G. Usos da biografia. In: AMADO, Jorge; FERREIRA, Marieta Moraes (org.), Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas, 1996, p.167-182.

LOWY, M. Revolta e melancolia. São Paulo: Boitempo, 2015.

MARTINS, G. C. “Deus é o existirmos e isto não ser tudo”: a presença da ausência em Rubem Alves e Fernando Pessoa. In: II CONACIR, 2, 2016, Juiz de Fora - MG. Anais do CONACIR: II Congresso Nacional de Graduações e Pós-Graduações em Ciência da Religião. Juiz de Fora: PPCIR-UFJF, 2016. v. 1. p. 1089-1094.

NIETZSCHE, F. A gaia ciência. São Paulo: Companhia das letras, 2012.

NUNES, A. V. Etapas do itinerário reflexivo de Rubem Alves: a dança dos símbolos. In: NUNES, A. V. (org.). O que eles pensam de Rubem Alves e de seu humanismo na religião, na educação e na poesia. São Paulo: Paulus, 2007. p. 11-52.

PY, F. Lauro Bretones, um protestante heterodoxo no Brasil de 1948 a 1956. Rio de Janeiro, fevereiro de 2016, 259p. Tese de Doutorado. Departamento de Teologia – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2016.

PY, F.; VASCONCELLOS, D. S. M. Dogmatismo e exclusão - Um estudo de caso do referencial de fé da Coalizão Batista Conservadora. Fragmentos de Cultura, v. 26, n. 4, p. 660-669, 2016.

ROBINSON, D. Nietzsche and Postmodernism. Cambridge, UK: Icon Books, 1999.

SANTA ANA, J. Fiel às suas origens. In: NUNES, A. V. (org.). O que eles pensam de Rubem Alves e de seu humanismo na religião, na educação e na poesia. São Paulo: Paulus, 2007. p. 83-92.

TILLICH, P. Perspectivas da teologia protestante nos séculos XIX e XX. São Paulo: Aste, 1986.

VASCONCELLOS, D. S. M. História de Rubem, história da salvação: uma análise do pen-samento de Alves a partir de Vattimo. In: II CONACIR, 2, 2016, Juiz de Fora - MG. Anais do CONACIR: II Congresso Nacional de Graduações e Pós-Graduações em Ciência da Religião. Juiz de Fora: PPCIR-UFJF, 2016. v. 1. p. 1095-1101.

WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Companhia das letras, 2014.




DOI: https://doi.org/10.19143/2236-9937.2017v7n14p130-158

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Filiada:

Apoio:


Teoliteraria está indexada em:

     

    

  

                         

 

 

 

 

 

Presença da Teoliteraria em Bibliotecas no exterior:

 

                         
                               
            
                        
                       
              
                              
                                          
                       
                
                             

 

           

  

 



  

     
 Está obra está licenciada sobre uma Creative Commons Attribution 4.0 International License.