Algumas particularidades de ambientes de geometria dinâmica na educação geométrica

Marcelo Almeida Bairral, João Carlos Fernandes Barreira

Resumo


Esse artigo destina-se, prioritariamente, a iniciantes interessados no uso de ambientes de geometria dinâmica (AGD) em processos de ensino e de aprendizagem de matemática. Ilustram-se especificidades do GeoGebra e de um ambiente virtual síncrono – o VMTcG –, que integra o GeoGebra. Evidenciam-se a construção de uma classe de figura com observação de objetos (in)variantes e estratégias para potencializar processos de prova e de colaboração. Finalmente, instiga-se o leitor a pensar em uma nova geometria produzida com os AGD.


Palavras-chave


AGD; VMTcG; figura; (in)variante; interação online; colaboração.

Texto completo:

PDF

Referências


ARCEO, E. D. B. (2009). Geometría dinámica con Cabri-Géomètre. 3a Edição. Metepec:Editorial Kali.

ARZARELLO, F. et al. (2002). A cognitive analysis of dragging practises in Cabri environments. In ZDM. N. 3, v. 34, p. 66-72.

BACCAGLINI-FRANK, A.; MARIOTTI, M. A. (2010). Generating conjectures in dynamic geometry: The maintaining dragging model. International Journal of Computers for Mathematical Learning. N. 3, v.15, p. 225-253.

BAIRRAL, M. A. (2007). Discurso, interação e aprendizagem matemática em ambientes virtuais a distância. Rio de Janeiro: Edur.

BAIRRAL, M. A. (2015a). Licenciandos em matemática analisando o comportamento de pontos notáveis de um triângulo em um ambiente virtual com GeoGebra. In Reunião Anual da Anped, 37., Florianópolis.

BAIRRAL, M. A. (2015b). Pesquisas em educação matemática com tecnologias digitais: algumas faces da interação. Perspectivas da Educação Matemática. N. 18, v. 8, p. 485-505.

BAIRRAL, M. A.; MARQUES, F. J. R. (2016). Onde se localizam os pontos notáveis de um triângulo? Futuros professores de matemática interagindo no ambiente VMT com GeoGebra. Educação Matemática Pesquisa. N. 1, v. 18, p. 111-130.

BAIRRAL, M. A.; POWELL, A. (2015). Identificação e análise de objetos e relações em Virtual Math Teams. In A. POWELL (Ed.), Métodos de Pesquisa em Educação Matemática: Usando Escrita, Vídeo e Internet. Campinas: Mercado de Letras, p. 127-150.

BARREIRA, J. C. F.; BAIRRAL, M. (2017). Que quadrilátero é? Licenciandos em matemática usando propriedades conhecidas no VMT com o GeoGebra. Boletim Gepem N. 70, p. 143-156. doi:10.4322/gepem.2017.02

BORBA, M. de C.; MALHEIROS, A. P.; ZULATTO, R. B. (2007). Educação a Distância online. Belo Horizonte: Autêntica.

ÇAKIR, M. P.; ZEMEL, A.; STAHL, G. (2009). The joint organization of interaction within a multimodal CSCL medium. International Journal of Computer-Supported Collaborative Learning. N. 2, v. 4, p. 115-149.

GRAVINA, M. A. (1996). Geometria dinâmica: uma nova abordagem para a aprendizagem da Geometria. In Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, 7. Belo Horizonte.

HOLLEBRANDS, K. (2003). High school students’ understandings of geometric transformations in the context of a technological environment. Journal of Mathematical Behavior. N. 22, p. 52-72.

HSIEH, F.-J.; HORNG, W.-S.; SHY, H.-Y. (2012). From exploration to proof production. In HANNA, G.; DE VILLIERS, M. (Eds.). Proof and proving in mathematics education. New York: Springer, 279-303.

KING, J. R.; SCHATTSCHNEIDER, D. (2003). Geometria dinâmica: seleção de textos do livro Geometry Turned On! Lisboa: APM.

LABORDE, C. (1992). Solving problems in computer based geometry environments: The influence of the features of the software. Zentralbaltt f ̈ur Didaktik des Mathematik. N. 4, p. 128-135.

LABORDE, C. (2001). Integration of technology in the design of Geometry tasks with cabri geometry. International Journal of Computers for Mathematical Learning. N. 3, v. 6, p. 283-217.

MARIOTTI, M. A. (2000). Introduction to proof: The MEDIATION OF A DYNAMIC SOFTWARE ENVIRONMENT. Educational Studies in Mathematics. N. 1-3, v. 44, p. 25-53.

MARQUES, F. J. R.; BAIRRAL, M. A. (2014). Futuros professores de matemática interagindo em um ambiente virtual com o GeoGebra. Educação Matemática em Revista. v. 41, p. 5-18.

MEIER, M.; GRAVINA, M. A. (2012). Modelagem no GeoGebra e o desenvolvimento do pensamento geométrico no Ensino Fundamental. In 1a Conferência Latino-Americana de GeoGebra, PUCSP.

PEREIRA, T. L. M. (2012). O uso do software GeoGebra em uma escola pública: interações entre alunos e professor em atividades e tarefas de geometria para o ensino fundamental e médio. Dissertação (Mestrado profissional em Educação Matemática) – Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática, Instituto de Ciências Exatas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora.

POWELL, A. B. (2014). Construção colaborativa do conhecimento tecnológico, pedagógico e do conteúdo de professores de matemática. Boletim Gepem. N. 64, p. 1-19. doi:10.4322/gepem.2014.023

POWELL, A. B.; PAZUCH, V. (2016). Tarefas e justificativas de professores em ambientes virtuais colaborativos de geometria dinâmica. Zetetiké. N. 2, v. 24, p. 191-207.

SALAZAR, J. V. F.; ALMOULOUD, S. A. (2015). Registro figural no ambiente de geometria dinâmica. Educação Matemática Pesquisa. N. 5, v. 17, p. 919-941.

SINCLAIR, N.; ROBUTTI, O. (2013). Technology and the role of proof: The case of dynamic geometry. In CLEMENTS, M. A. K. et al. (Eds.). Third International Handbook of Mathematics Education. New York: Springer, 571-596.

SINCLAIR, N.; YURITA, V. (2008). To be or to become: how dynamic geometry changes discourse. Research in Mathematics Education. N. 2, v. 10, p.135-150.

STAHL, G. (2006). Group cognition: Computer support for building collaborative knowledge. Cambridge: MIT.

STAHL, G. (Ed.) (2009). Studying virtual Math teams (V. 11). New York, NY: Springer.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista do Instituto Geogebra Internacional de São Paulo está indexada nas seguintes bases:

     

   

Revista do Instituto GeoGebra internacional de São Paulo (IGISP) - ISSN 2237-965

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.