Educação em saúde: doenças sexualmente transmissíveis e gravidez na adolescência

Maria Joana Pires de Oliveira, Leni Boghossiam Lanza

Resumo


Objetivos: Identificar as necessidades dos adolescentes quanto aos temas relativos às doenças sexualmente transmissíveis (DST), gravidez e sexualidade; sensibilizar os jovens quanto à importância do respeito dos cuidados com seu próprio corpo e com o corpo do outro; estimular o desenvolvimento da responsabilidade e autonomia desses jovens para com o próprio corpo e sua sexualidade. Metodologia: Tratou-se de um estudo descritivo, exploratório, transversal e de características qualitativas. Foi realizado na área de abrangência da Estratégia de Saúde da Família (ESF) de Brigadeiro Tobias, na cidade de Sorocaba, São Paulo. Participaram 14 adolescentes do sexo masculino e três do feminino, voluntários, por meio de discussões sobre prevenção de DST e gravidez indesejada. Foram realizados três encontros utilizando-se a roda de conversa para as discussões e reflexões. Resultados: Os temas emergidos dos encontros, norteadores das discussões foram: higiene, prevenção e gravidez. A avaliação dos encontros foi tematizada por meio dos depoimentos e focaram: sexualidade, descobertas e aprendizagem. Conclusão: A educação em saúde praticada na ESF permitiu a identificação das necessidades de saúde dos adolescentes, sensibilizando-os por intermédio do conhecimento do corpo, prevenção de DST, gravidez indesejada, agravos à saúde e qualidade de vida. Estimulou a autonomia dos jovens, desenvolvendo responsabilidade com o corpo e a sexualidade e aumentou o vínculo entre a comunidade e a equipe de saúde por meio da abertura desse novo canal de comunicação entre a ESF e os adolescentes.


Palavras-chave


enfermeiro; sexualidade; adolescência; educação em saúde; Estratégia Saúde da Família

Texto completo:

PDF

Referências


Ramos FRS, Pereira SM, Rocha CRM. Bases para uma ressignificação do trabalho de enfermagem junto ao adolescente. In: Associação Brasileira de Enfermagem, editora. Adolescer: compreender, atuar, acolher. Brasília: Ministério da Saúde; 2001.

Crivelari M. Trabalhar sexualidade: guia prático para professores de ensino fundamental. São Paulo: Lua; 2007.

Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes Nacionais para a Atenção Integral à Saúde de Adolescentes e Jovens na Promoção, Proteção e Recuperação da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2010.

Denzin NK, Lincoln YS. Introdução: a disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. In: Denzin NKE, Lincoln YS (Eds.). O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2006.

Vieira LM, Saes SO, Dória AAB, Goldberg TBL. Reflexões sobre a anticoncepção na adolescência no Brasil. Rev Bras Saúde Mater Infant. 2006;6(1):135-40. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-38292006000100016

Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. AIDS: O que pensam os jovens: políticas e práticas educativas. Brasília: Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura; 2002.




DOI: https://doi.org/10.23925/1984-4840.2018v20i3a4

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba. ISSN eletrônico 1984-4840

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.