A escrita feminina entre a fronteira e o não lugar: discursos femininos em ascensão na Literatura Italiana de Migração

Laura Gherlone

Resumo


Durante o processo da Perestroika soviética, Iuri Lotman escreveu reflexões sobre o conceito de fronteira. Como testemunhou migrações em massa, expulsões forçadas e reconfigurações etnogeográficas sem precedentes, sabia o quanto uma fronteira pode ser carregada de significado cultural que transcende sua dimensão espacial. Ter esse tipo de consciência era ainda mais urgente tendo em vista ser esse um período histórico de transição, reconstrução e abertura, quando as políticas linguístico-culturais poderiam ser um meio de promover integração e aceitação do “estrangeiro”. Esta contribuição parte desse quadro histórico-conceitual e busca analisar um fenômeno cultural de grande interesse na literatura italiana contemporânea: a presença “intrusa” crescente de escritoras das antigas colônias que escolheram escrever suas obras em uma língua estrangeira, o italiano, usando a escrita como um campo de experimentação, hibridismo cultural e criação de um espaço discursivo público que traz o olhar da mulher migrante. 


Palavras-chave


Iuri Lotman; Fronteira; Literatura italiana de migração; Escrita feminina; Estrangeiro

Texto completo:

PDF PDF (English)

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.