A INFÂNCIA E A CULTURA DA PAZ NA PERSPECTIVA DA PEDAGOGIA DO OPRIMIDO

Tatiane Delurdes de Lima, Michelle Popenga Geraim Monteiro, Araci Asinelli-Luz

Resumo


O presente artigo tem como objetivo enfatizar a discussão da infância e da Cultura da Paz na perspectiva do livro Pedagogia do Oprimido, de Paulo Freire (1970), trazendo contribuições relevantes para as concepções educativas e sociais. Este artigo é uma pesquisa de cunho qualitativo e tem como metodologia o estudo bibliográfico. No contexto social e educacional, em defesa de uma educação com base na conscientização, colaboração e participação, Paulo Freire amplia seu olhar sobre a paz, ligando-a a possibilidades de ação e de diálogo, que constrói e reconstrói o sujeito, pois ao expressar-se por meio da palavra, o indivíduo cria/recria o mundo. É nesse processo que acontece a emancipação de forma coletiva, pois a paz está intrinsecamente ligada à transformação social. Por isso, acreditamos que pensar por esta ótica aumenta a chance concreta de uma realidade educativa melhor através de uma educação para paz, implicando em uma ordem ética com justiça social, em favor da minimização das violências no âmbito escolar.


Palavras-chave


infância; cultura da paz; Paulo Freire; escola

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2018v16i4p1234-1251

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais