BARROS, Eliana Merlin Deganutti de.; RIOS-REGISTO, Eliane Segati (Orgs.) EXPERIÊNCIAS COM SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS DE GÊNEROS TEXTUAIS. Campinas: Pontes, 2014.

Paulo Henrique ESPURI, Tuanny Gomes Siqueira AMARAL

Resumo


 Constituída por dez artigos, a obra organizada por Barros e Rios-Registro traz trabalhos desenvolvidos no campo dos estudos dos gêneros textuais como objetos de ensino, contemplando experiências que, sob diversos enfoques, refletem sobre aspectos relacionados ao uso da metodologia Sequência Didática (DOLZ; NOVERRAZ; SCHNEUWLY, 2004), conforme é possível observar em seu título. Logo, os trabalhos aqui apresentados partem de um mesmo olhar teórico, o Interacionismo Socio-discursivo (ISD), trazido a partir de autores como Jean Paul Bronckart.

            


Palavras-chave


EXPERIÊNCIAS COM SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS DE GÊNEROS TEXTUAIS; BARROS, Eliana Merlin Deganutti de.; RIOS-REGISTO; Eliane Segati (Orgs.)

Texto completo:

PDF

Referências


AEBY DAGHÉ, S.; DOLZ, J. Des gestes didactiques fondateurs aux gestes spécifiques à l’ enseigment/apprentissage du text d’opinion. In: BUCHETHON, D.; DEZZUTER, O. (Ed). Le développment des gestes professionnels dans l’enseignement du français: un défi pour recherché et la formation. Bruxelles: De Boeck, 2007.

CRISTOVÃO, V.L. Gêneros e ensino de leitura em LE: os modelos didáticos de gêneros na construção e avaliação de material didático. 2001. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

_______________. Gêneros Textuais e práticas de formação de professores. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO, 13., 2006, Pernambuco. Anais. Pernambuco: ENDIPE, 2006. p. 1-11.

_______________. Modelos didáticos de gênero: uma abordagem para o ensino de língua estrangeira. Londrina: UEL, 2007

DENARDI, D.A. Flying together towards ELF teacher development as language learners and professionals through genre writing. Tese (Doutorado em Letras/ Inglês e Literatura correspondente). Programa de pós-graduação em inglês. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

DOLZ, J. Los cinco grandes retos de la formación de lenguas. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS DE GÊNEROS TEXTUAIS – SIGET, 5, 2009, Anais. Caxias do Sul: UCS, 2009.

DOLZ, J; SCHEUWLY, B e colaboradores. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização de Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas: SP: Mercado de Letras, 2004.

BRONKCART, J.P. Atividades de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sócio-discursivo. Tradução Ana Rachel Machado e Péricles Cunha. 2.ed. São Paulo: Educ, 2003.

________________. Atividades de Linguagem, discurso e desenvolvimento humano. Campinas: SP. Mercado das Letras, 2006.

GAGNON, R. Former à enseigner l’argumentation orale: Del l’object de formation à l’object enseigné en classe de culture generale. 2010. 490 f. Tese (Doutorado em Diactique). Faculté de Psicologie et des Sciences de l’ Education. Université de Genève, 2010.

GOMES-SANTOS, S.N. A escrita nas formas do trabalho docente. Educação e Pesquisa, v, 35, p.445-457, 2010.

HILA, C.V.D. Ferramentas, curso de formação e sequência didática: contribuições para o processo de internacionalização no estágio de docência de língua portuguesa. 2011. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2011.

JACKIN, M. Lire des textes informatives em classe. Quels apprentissages? Babylonia, v.3, n.10, p. 39-44, 2010.

MACHADO, A.R. Uma experiência de assessoria docente e de elaboração de material didático para o ensino de produção de textos na universidade. D.E.L.T.A., São Paulo, v.6, n.1, p. 1-25, 2000.

SCHNEUWLY, B. Les outils de l’enseignant: un essai didactique. Rèperes, n. 22, 2000.

STUTZ, L. Sequências didáticas, socialização de diários e autoconfrontação: instrumentos para a formação inicial de professores de inglês. 2012, 388 f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, 2012.

__________; CRISTOVÃO, V.L. A construção de uma sequência didática na formação docente inicial de língua inglesa. Signum: Estudos da Linguagem. n. 14/1, p. 569-589, jun, 2011.

SZUNDY, P.T.C.; CRISTOVÃO, V.L. Projetos de formação pré-serviço do professor de língua inglesa. sequências didáticas como instrumento no ensino-aprendizagem. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v.8, p.115-137, 2008.

VIGOTSKY, L. S. A formação social da mente. Tradução J.C Neto et al. 6. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

_______________. Pensamentos e linguagem. Tradução Jefferson Luiz Camargo. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.




DOI: https://doi.org/10.23925/2318-7115.2017v38i2a9

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexicadores

Apoio

A Revista The Especialist e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Lincença Creative Commons: Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)