Política de ética

Política de Ética e Boas Práticas

A revista The Especialist segue as diretrizes do “Princípios de Transparência e Boas Práticas em Publicações Acadêmicas” do COPE (Committee on Publication Ethics) e não admite comportamentos antiéticos e nem tolera quaisquer formas de plágio.

Os direitos de autoria são limitados àqueles que contribuíram significativamente para o desenvolvimento da pesquisa, a interpretação dos dados e o desenvolvimento do artigo. Todos os colaboradores que não se ajustarem aos critérios de autoria devem ser mencionados em uma nota de agradecimento.

Os autores devem ter autorização dos participantes da pesquisa para divulgar os dados produzidos, mesmo que o anonimato seja garantido.

Quanto à pesquisa com seres humanos, esperamos que as pesquisas que se baseiam em dados coletados e/ou gerados por informantes humanos tenham sido previamente aprovadas por comitês de ética competentes, como a Plataforma Brasil e comitês de ética locais. É necessário informar o número de aprovação/parecer desses comitês em nota de rodapé no corpo do artigo.

Os artigos resultantes de teses e dissertações devem explicitar essa informação, de modo a evitar autoplágio. Os orientadores não devem ser incluídos como coautores, de acordo com a Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Art. 15: § 1º. Os nomes dos orientadores devem constar em uma nota de rodapé na primeira página do artigo.

Trabalhos escritos ou orais de outros autores, sejam eles publicados ou não publicados, devem ser citados.

No que se refere à revisão por pares, a revista The Especialist garante que tal processo de revisão por pares seja cego, justo e criticamente construtivo. Desse modo, não permite críticas indelicadas ou ofensas em seus relatórios de revisão por pares. Os editores da revista trabalham em conjunto com os revisores na avaliação da qualidade e adequação dos manuscritos e no fornecimento de contribuições criticamente construtivas para os autores.

No que diz respeito à pré-avaliação, nossa equipe editorial trabalha para avaliar a qualidade e a adequação formal dos artigos antes da revisão por pares. Os editores também buscam detectar plágio ou autoplágio nos manuscritos. No entanto, os revisores também são solicitados a verificar os manuscritos quanto a potenciais (auto)plágios.

The Especialist entende que a liberdade de expressão em uma democracia é limitada pelos direitos humanos e pela dignidade dos grupos humanos. Trabalhos em Linguística Aplicada, de forma alguma, admite discurso de ódio ou outras formas violentas de linguagem.

Os artigos submetidos a este periódico serão tratados como documentos confidenciais. Os editores coordenam o processo de avaliação cega por pares e enviam os artigos submetidos a pareceristas de diferentes instituições.

No que diz respeito a fraudes e inadequações na condução da pesquisa, a revista The Especialist segue as preocupações do COPE com a integridade dos manuscritos e a má conduta acadêmica de autoria, revisão ou edição: https://publicationethics.org/misconduct