GOOGLE DRIVE: POTENCIALIDADES PARA O DESIGN DE MATERIAL EDUCACIONAL DIGITAL (MED) PARA ENSINO DE LÍNGUAS

Rosinda de Castro Guerra RAMOS, Simone Telles Martins RAMOS, Fernanda Katherine ASEGA

Resumo


Este trabalho tem como objetivo apresentar uma experiência sobre como o Google Drive pode ser usado para o desenho de MED (Material Educacional Digital) para o ensino-aprendizagem de línguas, devido ao crescente uso das TDICs (Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação) na área de educação e aos desafios que o design de materiais educacionais para o ambiente digital nos lançam.  Para apresentar nossa experiência, faremos uma discussão teórica sobre os conceitos de desenvolvimento de material didático (TOMLINSON, 2003; RAMOS, 2009), de material educacional digital –MED – (BEHAR, 2009), multimodalidade (ROJO e BARBOSA, 2015), a lacuna existente em relação ao  letramento digital na formação de professores (LEFFA, 2013), os níveis/tipos  de interação em ambiente digital (HIRUMI, 2013) e sua relação na coconstrução de novos conhecimentos (VIGOTSKY, 1989, 1998; OLIVEIRA, 1997; BRASIL, 1998). Em seguida, descreveremos o Google Drive e as funcionalidades dos aplicativos de produtividade Google Documentos, Planilhas, Apresentações e Formulários. Finalizaremos com considerações sobre essa experiência e suas contribuições para a área de formação de professores de línguas. 


Palavras-chave


TDICs, Google Drive, MED, Ensino de Línguas

Texto completo:

PDF

Referências


AL-ZOUBE, M. E-Learning on the Cloud. International Arab Journal of e-Technology, vol. 1, no. 2, June 2009. Disponível em:<

http://www.iajet.org/iajet/iajet_files/vol.1/no.2/E-Learning%20on%20the%20Cloud.pdf >. Acesso em: 11 jan. 2015.

AMPLIFICA. Sala de aula transformada com as ferramentas Google. Disponível em:< http://seminarioamplifica.com.br/sobre/ >. Acesso em: 20 ago. 2015.

ATTWELL G. Personal Learning Environments – the future of eLearning? eLearning Papers. Barcelona; vol 2, nº 1; Janeiro 2007. Disponível em:<

http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.97.3011&rep=rep1&type=pdf>. Acesso em: 12 jan. 2015.

BEHAR, P.A. (orgs.). Modelos Pedagógicos em Educação a Distância. Porto Alegre: Artmed, 2009.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: 3º e 4º ciclos do Ensino Fundamental: Língua Portuguesa. Brasília/DF: MEC/SEF, 1998.

COPE, B.; KALANTZIS, M. Multiliteracies: new literacies, new learning, Pedagogies: An International Journal, vol.4, 2009, p.164-195. Disponível em . Acesso em: 15. mai.2015.

EUROPEAN COMISSION. DIGCOMP: A Framework for Developing and Understanding Digital Competence in Europe. Luxembourg: Office for Official Publications of the European Communities, 2013.

GOOGLE: suporte google. Disponível em: Acesso em: 12 jan. 2015.

HIRUMI, A. Aplicando Estratégias Fundamentadas para Projetar e Sequenciar Interações em E-learning. Tradução João Mattar. Tecnologia Educacional. Rio de Janeiro; vol.31, no200, Janeiro-Março, 2013.p.6-41.

KRESS, G.; VAN LEEUWEN, T. Reading Images. The Grammar of Visual Design. London & New York: Routledge, 1996/2000.

LEFFA, V. J.; MARZARI, G. Q. O letramento digital no processo de formação de professores de línguas. # Tear: Revista de Educação Ciência e Tecnologia, Canoas, vol.2, no.2, p. 1-18, 2013.

LEMKE, J. L. Letramento metamidiático: transformando significados e midias.  Trabalhos em Linguística Aplicada. Campinas, vol.49, no 2 p. 455-479, Jul./Dez. 2010. Tradução de Metamedia Literacy: Transforming Meanings and Media, 1998. Disponível em . Acesso em: 20 mai.2015.

MARTIN, A. GRUDZECKI, J. DigEuLit: Concepts and Tools for Digital Literacy Development. ITALICS, vol.5, no 4, p. 249-267, 2006. Disponível em: . Acesso em:11 jan. 2015.

MOORE, M. G. Three types of interaction. The American Journal of Distance Education, vol.3, no.2, p.1-6, 1989.

MORAN, J. M. Desafios na Comunicação Pessoal. 3ª ed. São Paulo: Paulinas, p.10-15, 2007.

OLIVEIRA, M.K. Vygotsky: Aprendizado e Desenvolvimento: um processo sócio-histórico. 4a. ed. São Paulo: Scipione, 1997.

O'REILLY, T. What Is Web 2.0: Design Patterns and Business Models for the Next Generation of Software. Disponível em:< http://oreillynet.com/pub/a/oreilly/tim/news/2005/09/30/what-is-web-20.html>. Acesso em: 11 jan. 2015.

RAMOS, R. C. G. Design de Material Didático on-line: reflexões. In: Soto U.; Mayrink, M.F.; Gregolin, I. V. (Org.). Linguagem, Educação e Virtualidade: experiências e reflexões. 1ª ed. São Paulo: Editora UNESP/Cultura Acadêmica, 2009. p. 93-115.

ROJO, R.;BARBOSA, J.P. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. São Paulo: Parábola Editorial. 2015.

ROJO, R. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial. 2009.

TOMLINSON, B. Materials development. In: CARTER, R.; NUNAN, D. (Eds.). The Cambridge guide to teaching English for speakers of other languages. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.p.66-71.

VYGOTSKY, L.S. Pensamento e linguagem. São Paulo, SP: Martins Fontes, 1989.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.




DOI: https://doi.org/10.23925/2318-7115.2017v38i1a6

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexicadores

Apoio

A Revista The Especialist e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Lincença Creative Commons: Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)