ENSINO PRESENCIAL E VIRTUAL EM SINTONIA NA FORMAÇÃO EM LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

Mônica Ferreira MAYRINK, Heloísa ALBUQUERQUE-COSTA

Resumo


O objetivo deste artigo é discutir a importância de integrar as tecnologias ao ensino presencial de línguas estrangeiras, como uma forma de ampliar os espaços de aprendizagem e de engajar o aluno em práticas linguísticas condizentes com aquelas que ele costuma realizar em contextos de interação online fora do espaço escolar. A reflexão se apoia no uso que fazemos da Plataforma Moodle no ensino presencial de língua espanhola e francesa em contexto universitário, e enfatiza, especialmente, a forma como a integração das Tecnologias de Informação e de Comunicação (TIC), ressignificadas como Tecnologias para a Aprendizagem e o Conhecimento (TAC), também contribui nas aulas de cursos de Letras, para a formação do futuro professor.

Palavras-chave


Ensino presencial; Ensino virtual; Tecnologia; Língua estrangeira

Texto completo:

PDF

Referências


BRAGA, D. B. 2013. Ambientes digitais: reflexões teóricas e práticas. São Paulo: Cortez Editora.

CASTELLS, M. 2015. Escola e internet: o mundo da aprendizagem dos jovens. Fronteiras do Pensamento. Entrevista publicada em 12 de janeiro de 2015. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=J4UUM2E_yFo. Acessado em: fev 2017.

CASTELLS, M. 2013. Pergunte para Manuel Castells. Fronteiras do Pensamento. Entrevista. Disponível em http://www.fronteiras.com/noticias/pergunte-para-manuel-castells. Acessado em: fev 2017.

COLL, C.; MONEREO, C. (Orgs.) 2010. Psicologia da Educação Virtual. Aprender e ensinar com as Tecnologias da Informação e da Comunicação. Porto Alegre: Editora ARTMED.

COLL, C., MAURI, T., ONRUBIA, J. 2010. A incorporação das tecnologias da informação e da comunicação na educação. Do projeto técnico-pedagógico às práticas de uso. In COLL, C., MONEREO, C. (Orgs.) Psicologia da Educação Virtual. Aprender e ensinar com as Tecnologias da Informação e da Comunicação. Porto Alegre: Editora ARTMED, p. 66-96.

FILATRO, A. 2008. Design instrucional na prática. São Paulo: Pearson Education do Brasil.

GREGOLI, I. 2009. Inovações no uso de recursos tecnológicos em cursas de língua estrangeira. In SOTO, U. et al. Novas tecnologias em sala de aula. (Re)construindo conceitos e práticas. São Carlos: Claraluz, p. 35-42.

KENSKI, V. M. 2008. Tecnologias e ensino presencial e a distancia. Campinas: Papirus.

MAYRINK, M. F. 2017. Ressignificando as TIC como Tecnologias para a Aprendizagem e o Conhecimento (TAC) e para o Empoderamento e a Participação (TEP). In N. A. ROCHA; T. RODRIGUES; S. M. CALAVARI. Trilhas lingüísticas. No prelo.

MAYRINK, M. F.; ALBUQUERQUE-COSTA, H. 2015. Tecnologias e ensino de línguas estrangeiras: uma relação possível. In: R. R. BORGES (Org.). # Sou + TEC: Ensino de lingua(gem) e literatura. Campinas: Pontes Editores, p. 203-218.

MAYRINK, M. F.; GARGIULO, H. 2013. Hacia la formación docente para el uso de ambientes virtuales en la enseñanza de idiomas. Revista Abehache, n. 4, primeiro semestre de 2013, p. 147-163. São Paulo, 2013. Disponível em: http://www.hispanistas.org.br/abh/. Acessado em: jun 2016.

MORAN, J. M. 2003. Gestão inovadora da escola com tecnologias. In: A. VIEIRA. (Org.). Gestão educacional e tecnologia. São Paulo: Avercamp, p. 151-164. Disponível em: http://www.eca.usp.br/prof/moran/site/textos/tecnologias_eduacacao/gestao.pdf. Acessado em: jun 2016.

MORAN, J. M. 2012. Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias audiovisuais e telemáticas. In: J. M. MORAN; M. T. MASETTO; M. A. BEHRENS. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas, SP: Papirus, p. 11-65.

REIG H., D. 2011. TIC, TAC, TEP y el 15 de octubre. Disponível em http://www.dreig.eu/caparazon/2011/10/11/tic-tac-tep/. Acessado em: jun 2016.

____________. 2012. Disonancia cognitiva y apropiación de las TIC. Revista TELOS Cuadernos de Comunicación e Innovación, Madri: Fundación Telefónica, enero-marzo, p. 1-2, 2012. Disponível em https://telos.fundaciontelefonica.com/url-direct/pdf-generator?tipoContenido=articuloTelos&idContenido=2012020215200001&idioma=es. Acessado em: jul 2016.

SANCHO, J. M. 2008. De TIC a TAC, el difícil tránsito de una vocal. Investigación en la escuela, 64, p.19-29. Disponível em: http://www.investigacionenlaescuela.es/articulos/64/R64_2.pdf. Acessado em: jun 2016.

TORI, R. 2010. Educação sem distância. São Paulo: Editora SENAC.

VALENTE, J. A. 2011. Educação a distância: criando abordagens educacionais que possibilitam a construção de conhecimento. In: V. A. ARANTES (Org.). Educação a distâncias: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus Editorial, p. 13-44.




DOI: https://doi.org/10.23925/2318-7115.2017v38i1a10

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexicadores

Apoio

A Revista The Especialist e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Lincença Creative Commons: Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)