DISCURSO DO BANCO DA AMAZÔNIA: MUDANÇA DE POSIÇÃO IDEOLÓGICA E SEUS REFLEXOS NA PUBLICIDADE

Paula Tatiana da Silva ANTUNES, Grassinete Albuquerque OLIVEIRA

Resumo


Este artigo objetiva analisar o contexto sócio-histórico-cultural que influenciou o discurso de duas propagandas veiculadas na imprensa nacional, uma de 1970 e outra de 2005, as quais materializam a mudança de posicionamento/ideologia do Banco da Amazônia após três décadas. Tem-se como pressupostos as teorias da Enunciação, focando nas características multimodais do gênero textual anúncio publicitário, o qual se utiliza de textos verbais e não verbais responsáveis pela persuasão dos interlocutores. Como resultados, percebe-se que o discurso sobre a (não) preservação ambiental, ao ser ressignificado pela sociedade, passou a interferir no posicionamento das empresas e, consequentemente, no discurso divulgado por elas em meios propagandísticos de ampla visibilidade.


Palavras-chave


Contexto; Discurso; Anúncio Publicitário; Amazônia

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, Irandé. Análise de Textos: fundamentos e práticas. São Paulo: Parábola Editora, 2010.

ARISTOTÉLES (384-322 a.C.). Retórica. Tradução, textos adicionais e notas Edson Bini. São Paulo: EDIPRO. 1. reimp. 2013.

BAKHTIN, M., VOLOCHINOV, V. N. (1929) Marxismo e Filosofia da Linguagem. 12 ed. São Paulo: Hucitec, 2006.

______. (1952-53). Estética da criação verbal. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BRASIL. Rio + 20: Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2017.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. A construção política do Brasil: sociedade, economia e estado desde a Independência. 3. ed. São Paulo: Editora 34, 2016.

CARVALHO, Nelly de. Publicidade: a linguagem da sedução. 3. ed. São Paulo: Ática, 2010.

CHARAUDEAU, Patrick. Imagem, mídia e política: construção, efeitos de sentido, dramatização, ética. In: MENDES, Emilia; MACHADO, Ida; LIMA, Helcira; LYSARDO-DIAS, Dylia (orgs). Imagem e discurso. Belo Horizonte; FALE/UFMG, 2013.

DIONISIO, Angela Paiva. Multimodalidade discursiva na atividade oral e escrita. In: MARCUSCHI, Luiz Antonio. DIONISIO, Angela Paiva (Orgs.). Fala e Escrita. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. (p. 177-196).

ENGESTRÖM, Y. The future of activity theory: a rough draft. Cap. 19. In: SANNINO, A.; DANIELS, H.; GUTIERREZ, K.D. Learning and expanding with activity theory. Cambridge, 2009. p. 303-328

______. From design experiments to formative interventions. 2011. Disponível em: . Acesso em 24 mar. de 2017.

FIORIN, José Luiz. Argumentação. São Paulo: Contexto. 2016.

KELLER, K. L.; KOTLER, P. Administração de marketing. Tradução Bazán Tecnologia e Linguística. Revisão Técnica Arão Sapiro. 10 ed. São Paulo: Prentice Hall, 2000.

KRESS, G.; VAN LEEUWEN, T. Reading images: the grammar of visual design. London and New York: Routledge, 2. ed., 2006 [1996].

KOCH, Ingedore G. Villaça. Argumentação e Linguagem. 13. ed. São Paulo: Cortez. 2011.

LEANDRO, Rafael Voigt. Inferno Verde: representação literária da Amazônia na obra de Alberto Rangel. Disponível em:

Acesso em: 26 mar. 2017.

LIBERALI, Fernanda Coelho. Argumentação em contexto escolar. Campinas, SP: Pontes Editores. 2013.

MATTEI, Lauro. Desenvolvimento Brasileiro no Início do Século XXI: Crescimento Econômico, Distribuição de Renda e Destruição Ambiental. In: Um Campeão Visto de Perto: Uma Análise do Modelo de Desenvolvimento Brasileiro. Editado pela Heinrich Böll Foundation. Série Democracia, 2012, p. 32-47.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise de Textos de Comunicação. Tradução de Maria Cecília P. de Souza-e-Silva, Décio Rocha. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

PATINO GARZON, Luceli. Aportes del enfoque histórico cultural para la enseñanza. Educ. educ., Chia, v. 10, n. 1, June 2007. Disponível em http://www.scielo.org.co/pdf/eded/v10n1/v10n1a05.pdf . Acesso em: 09.08.2017

PERELMAN, C., OLBRECHTS-TYTECA, L. Tratado da argumentação - A nova Retórica. Trad. Maria E.G.G. Pereira. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

PINTO, B. D. L. et al. Indicadores de desenvolvimento sustentável para caracterização de melhoria contínua em processos de certificação ambiental. Meio Ambiente Industrial, São Paulo, ed. 92, ano XVI, p. 18-28, 2011.

SANT’ANNA, Armando. Propaganda: teoria, técnica e prática. 7. ed. rev. São Paulo: Pioneira, 2005.

SCALZO, Marília. Jornalismo de Revista. São Paulo: Contexto, 2003.

VYGOTSKY, L.S. (1934) Pensamento e Linguagem. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

______. A formação social da mente. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1934/1991.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. LURIA, Alexander Roamanovich. LEONTIEV, Alexis N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. Tradução de Maria da Pena Villalobos. 14. ed. São Paulo: Ícone, 2016.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações filosóficas. São Paulo: Ed. Nova Cultural (Col. Os Pensadores – trad.: José Carlos Bruni), 2000.




DOI: https://doi.org/10.23925/2318-7115.2017v38i2a6

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexicadores

Apoio

A Revista The Especialist e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Lincença Creative Commons: Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)