Lutas Sociais

Criada em novembro de 1996. Produzida pelo Núcleo de Estudos de Ideologias e Lutas Sociais (NEILS), vinculado ao Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Lutas Sociais é publicada semestralmente nos meses de junho e dezembro e seu conteúdo se volta para o debate sobre questões relevantes das Ciências Sociais, especialmente em Sociologia, Ciência Política, Relações Internacionais e afins. Esforça-se para assegurar perspectivas pluridisciplinares sem perder o rigor científico. Adota parâmetros de atuação que visam concretizar seu caráter crítico e plural.

Chamada de Artigos: Lutas Sociais, vol. 24, n. 44, jan./jun. 2020
 

DOSSIÊ
A devastação do trabalho: precarização e adoecimento

A cada crise do capital, uma forte onda de insegurança e incertezas inunda a vida de homens e mulheres cujo cotidiano é marcado pelo trabalho. Se, por um lado, renovam-se antigas práticas, por outro, novas são delineadas. O que se observa, sem grandes dificuldades, é a repercussão de um conjunto de medidas de forte impacto no mundo do trabalho capazes de redesenhar as formas da precariedade da vida sob o capitalismo. A mais recente onda, vivenciada desde os anos 1980 e revigorada a partir da crise de 2008, moveu-se rumo a flexibilizar ainda mais as formas de contratação, a tornarem mais elásticas as jornadas de trabalho, a rebaixar a remuneração, eliminando postos de trabalho, alastrando o subemprego e o desemprego; além de fragilizar as organizações e ações sindicais, incidindo também, de forma nociva, na saúde de homens e mulheres. Se a precarização é o elemento estruturante da atual fase do capitalismo, são as reformas na legislação social e trabalhista, implementadas em diferentes países do globo (Argentina, Brasil, Chile, Itália, França, México, Portugal, dentre outros) a expressão concreta de que não há fronteiras nem limites para a exploração capitalista de classe.
 
O dossiê A devastação do trabalho: precarização e adoecimento pretende examinar tanto as mudanças em curso nas relações de trabalho como as possíveis resistências e lutas do(a)s trabalhadore(a)s frente às novas ofensivas do capitalismo.

Organizadoras do Dossiê:
Claudete Pagotto (Universidade Metodista de São Paulo)
Luci Praun (Universidade Federal do Acre)
Zulene Muniz Barbosa (Universidade Estadual do Maranhão)

Prazo de envio de artigos: 20 de março de 2020

Os arquivos deverão ser encaminhados via portal da revista: http://revistas.pucsp.br/ls

Leia atentamente as normas de submissão: 
http://revistas.pucsp.br/index.php/ls/about/submissions#authorGuidelines


v. 22, n. 41 (2018): Crise, crime ambiental e resistências


Capa da revista
Capa: Arte sobre Imagem Lama tóxica, que chegou ao litoral capixaba após rompimento da barragem em Mariana (MG), de Gabriel Lordello/Mosaico. Imagem da Internet.