A Prática como Componente Curricular na Licenciatura em Matemática: Múltiplos Contextos, Sujeitos e Saberes.

Mary Angela Teixeira Brandalise, José Trobia

Resumo


RESUMO
Esta comunicação discute os resultados de uma pesquisa qualitativa que investigou as principais contribuições das disciplinas de Instrumentação para o Ensino de Matemática que integram o atual currículo do Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática de uma universidade pública paranaense. Essas disciplinas foram criadas a partir da obrigatoriedade de alterações nos projetos pedagógicos dos cursos de Licenciatura em Matemática, pelo Conselho Nacional de Educação, na Resolução nº 2/2002, a qual instituiu para os cursos de Formação de Professores da Educação Básica em nível superior o mínimo de 2800 (duas mil e oitocentas) horas, dentre as quais 400 (quatrocentas) horas devem ser usadas como componente curricular voltado à articulação teoria-prática. A investigação objetivou realizar um levantamento do processo de reformulação curricular do curso em questão e analisar suas contribuições para a formação inicial. Combinou três instrumentos de coleta de dados: análise documental, entrevista com professores de Instrumentação para o Ensino da Matemática e questionário com acadêmicos concluintes em 2010. Para análise dos depoimentos utilizou-se a metodologia do Discurso do Sujeito Coletivo – DSC, de Lefevre, Lefevre (2005). Os discursos construídos revelam significativas contribuições das disciplinas responsáveis para desenvolver a prática como componente curricular na Licenciatura em Matemática.

Palavras-chave:

Palavras-chave


Formação de professores de Matemática; Licenciatura em Matemática; Prática como componente curricular

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA