A Contextualização Histórica da Evolução em Livros Didáticos de Ciências

Rafael Cava Mori, Jessica Amanda Lourenço dos Santos, Gabriel Nardy Klein, Waldir Stefano

Resumo


Resumo

Muitos educadores concordam que os conteúdos da educação científica escolar devam ser contextualizados historicamente. Com base nisso, este trabalho analisou a presença da contextualização histórica da teoria da evolução, nos três livros didáticos de Ciências (séries finais do ensino fundamental) mais presentes em escolas do Estado de São Paulo (2017-2019). Foram tomadas em consideração tanto discussões historiográficas sobre esses conteúdos quanto a noção de perfil conceitual sobre adaptação. A análise abordou elementos textuais e imagéticos, identificando as seguintes características na abordagem de evolução nos livros: predominância de Charles Darwin entre os estudiosos mencionados; imprecisões históricas, principalmente nas exposições sobre outros naturalistas que contribuíram para a teoria evolutiva; apropriações livres, quanto a prescrições curriculares oficiais; hibridização discursiva e relativa variedade de atividades propostas; e contribuições para o fortalecimento das zonas transformacional e variacional, quanto ao perfil conceitual de adaptação, sem tentativas de deslegitimação das zonas do funcionalismo intra-orgânico e do ajuste providencial. Conclui-se que a tradição dos manuais escolares, quanto à presença da contextualização histórica nos conteúdos de evolução, permanece representada pelos livros analisados, junto de tentativas de atualizações.

Palavras-chave: Programa Nacional do Livro Didático; adaptação; ensino de ciências biológicas.

Abstract

Many educators agree that the contents of school science education should be historically contextualized. Based on this, the present article analyzed the presence of historical contextualization in the theory of evolution in three Science textbooks (final grades of primary school) most commonly found in schools in the state of São Paulo (2017-2019). We took into account both the historiographic discussions about these contents and the notion of conceptual profile about adaptation. Our analysis addressed textual and imagery elements, identifying the following characteristics in the way evolution is approached in the books: a predominance of Charles Darwin among the researchers mentioned; historical inaccuracies, particularly in the expositions on other naturalists who contributed to evolutionary theory; free appropriation regarding official curricular prescriptions; discursive hybridization and a relative variety of activities proposed; and contributions to the strengthening of the transformational and variational zones regarding the conceptual profile of adaptation, without attempts to delegitimize the intra-organic functionalism and providential adjustment zones. We conclude that, with regard to the presence of historical contextualization of evolution, the tradition of school textbooks is still represented by the textbooks analyzed, along with updating.

Keywords: Brazilian National Program of Textbooks; adaptation; teaching of biological sciences.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/2178-2911.2020v21p87-102