Conhecimento dos pacientes portadores de diabetes mellitus tipo 2 inseridos no Programa de Saúde ao Adulto

Eliana de Fatima Martins Greghi, Daniela Miori Pascon

Resumo


Introdução: O diabetes mellitus tipo 2 (DM2) é considerado um problema de saúde pública, passível de intervenções direcionadas às prevenções de complicações, em especial aos pacientes assistidos na Atenção Básica. Objetivo: Identificar o conhecimento dos pacientes portadores de DM2 inseridos no Programa de Saúde ao Adulto. Método: Trata-se de um estudo descritivo, tipo exploratório, com abordagem quantitativa, desenvolvido na Unidade de Saúde da Família, localizada em uma cidade do interior do estado de São Paulo. Resultados: Participaram voluntariamente 60 pacientes diagnosticados com DM2, desses, 39 (65,0%) eram do sexo feminino e 21 (35,0%) do sexo masculino. O período de doença, relatado pela maioria dos pacientes, foi inferior a 10 anos e 53 (88,3%) pacientes alegaram conhecer as complicações ocasionadas pela doença. A maioria das informações dadas sobre as complicações aos pacientes foi realizada pela equipe de enfermagem, seguida por médicos e multiprofissionais. Relataram como complicações: amputação (n=16; 26,6%); feridas (n=4; 6,6%); infecção (n=6; 10,0%). Além disso, 6 (10,0%) pacientes desconheciam quaisquer tipos de complicações e 28 (46,6%) possuíam conhecimento de mais de uma complicação. A maioria dos pacientes (n=59; 98,3%) considera o DM2 uma doença grave que impõe mudanças no cotidiano e intensas alterações da rotina de vida. Conclusão: Os resultados apontam que o Programa de Saúde ao Adulto repercutiu favoravelmente no conhecimento dos pacientes sobre o DM2 e sobre as possíveis complicações.

Palavras-chave


diabetes mellitus; complicações do diabetes; conhecimentos, atitudes e prática em saúde; autocuidado; educação em saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diabetes mellitus. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2006. Caderno de Atenção Básica, nº 16.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégia para o cuidado da pessoa com doença crônica: diabetes mellitus. Brasília: Ministério da Saúde; 2013. Caderno de Atenção Básica, nº 36.

Alfradique ME, Bonolo PF, Dourado I, Lima-Costa MF, Macinko J, Mendonça CS, et al. Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista brasileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP – Brasil). Cad Saúde Pública. 2009;25(6):1337-49.

International Diabetes Federation (IDF). IDF Diabetes atlas: 2014 update [Internet]. 6th ed. [acesso em 02 mar. 2016]. Disponível em: http://www.idf.org/sites/default/files/DA-regional-factsheets-2014_FINAL.pdf

Organização Pan-Americana da Saúde. Diabetes en las Americas [Internet]. Washington: OPS; 2011 [acesso em 20 jan. 2014]. Disponível em: http://www.paho.org/hq/index?option

Sociedade Brasileira de Diabetes. Diretrizes da Sociedade de Diabetes: 2013-2014 [Internet]. São Paulo; 2013 [acesso em 20 maio 2014]. Disponível em: http://www.diabetes.org.br

Duncan BB, Chor D, Aquino EML, Bensor IM, Mill JG, Schmidt MI,et al. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: prioridade para enfrentamento e investigação. Saúde Pública. 2012;46 (supl):126-34

Schmidt MI, Duncan BB, Azevedo e Silva G, Menezes AM, Monteiro CA, Barreto SM, et al. Chronic non-communicable diseases in Brazil: burden and current challenges. Lancet. 2011;377(9781):1949-61.

Rosa RS, Schmidt MI. Diabetes mellitus: magnitude das hospitalizações na rede pública do Brasil, 1999-2001. Epidemiol Serv Saúde. 2008;17(2):131-4.

Scottish Intercollegiate Guidelines NetWork. Management of diabetes: a national clinical guideline. Edinburgh: Sign; 2010.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Vigitel – Brasil 2011: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Torres HC, Souza ER, Lima MH, Bodstein RC. Intervenção educativa para o autocuidado de indivíduos com diabetes mellitus. Acta Paul Enferm. 2011;24(4):514-9.

American Diabetes Association. Standards of medical care in diabetes. Diabetes Care. 2013;36(Suppl 1):S11-66.

Rodrigues FF, Santos MA, Teixeira CR, Gonela JT, Zanetti ML. Relação entre conhecimento, atitude, escolaridade e tempo de doença em indivíduos com diabetes mellitus. Acta Paul Enferm. 2012;25(2):284-90.

Vestala H, Frisman GH. Can participation in documentation influence experiences of involvement in care decision-making? Open Nurs J. 2013;7:66-72.

Sociedade Brasileira de Diabetes. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes: tratamento e acompanhamento do diabetes mellitus. Rio de Janeiro: Diagraphic Editora; 2006. 153 p.

Shahid SM, Tabassum M. Cigarette smoking: an environmental risk for progression of nephropathy in diabetes. Int J Diabetes Dev Ctries. 2006;27(4):104-7.

Myers M. Campaign for tobacco-free kids. 2011 [Internet] [acesso em 10 nov. 2014]. Disponível em: https://www.tobaccofreekids.org/who_we_are/staff/matt_myers/

Hocayen PA, Malfatti CR. Tabagismo em pacientes diabéticos: predisposição às doenças crônico-degenerativas e neoplasia. Cinergis. 2010;11(2):19-25.

Wünsch Filho V, Mirra AP, López RV, Antunes, LF. Tabagismo e câncer no Brasil: evidências e perspectivas. Rev Bras Epidemiol. 2010;13(2):175-87.

Coppell KJ, Kataoka M, Williams SM, Chisholm AW, Vorgers SM, Mann JI. Nutritional intervention in patients with type 2 diabetes who are hiperglycaemic despite optimised drug treatment – Lifestyle Over and Above Drugs in Diabetes (LOADD) study: randomised controlled trial. BMJ. 2010:341(20):c3337.

American Diabetes Association. Diabetes mellitus and exercise. Diabetes care. 2000;23(Suppl 1):S50-4.

Look AHEAD Research Group, Wing RR. Long-term effects of a lifestyle intervention on weight and cardiovascular risk factors in individuals with type 2 diabetes mellitus: four-year results of the Look AHEAD trial. Arch Intern Med. 2010;170(17):1566-75.

Sociedade Brasileira de Diabetes. Diabetes na prática clínica [e-book]. Rio de Janeiro: SBD; 2011. [acesso em 01 jun. 2013]. Disponível em: http://www.diabetesebook.org.br/

Boulton AJ, Armstrong DG, Albert SF, Frykberg RG, Hellman R, Kirkman MS, et al. Comprehensive footexamination and risk assessment: a report of the task force of the foot care interest group of the American Diabetes Association, with endorsement by the American Association of Clinical Endocrinologists. Diabetes Care. 2008;31(8):1679-85.

Geloneze B, Lamounier RN, Coelho OR. Hiperglicemia pós-prandial: tratamento do seu potencial aterogênico. Arq Bras Cardiol. 2006;87(5):604-13.

Escobar FA. Relação entre obesidade e diabetes mellitus tipo II em adultos. Cad UniFOA. 2009;4(11):69-72.




DOI: https://doi.org/10.5327/Z1984-4840201623746

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.