Saúde bucal em meninas adolescentes da Vila Sabiá no município de Sorocaba, São Paulo

Autores

  • Claudia Regina de Campos Camargo PUC Sorocaba
  • Mário Luís Ribeiro Cesaretti

DOI:

https://doi.org/10.23925/1984-4840.2017v19i4a8

Palavras-chave:

adolescência, saúde bucal, estratégia saúde da família

Resumo

A adolescência compreende o período da vida que se estende dos 10 aos 19 anos, é uma fase de transformações biopsicossociais profundas. Em decorrência disso, é comum os adolescentes apresentarem comportamentos negligentes em relação aos seus cuidados com saúde e esse período é tido como de risco aumentado para o aparecimento de cárie dentária e outras afecções bucais, devido ao controle precário da placa e menor cuidado com a escovação. Objetivo: Fomentar uma ação educativa visando à redução de riscos aos quais esse segmento populacional encontra-se exposto. Materiais e métodos: Este é um estudo transversal e qualitativo com 10 adolescentes do sexo feminino, na faixa etária de 10 a 14 anos e que fazem parte do grupo que frequenta o Território Jovem, Vila Sabiá, no município de Sorocaba, São Paulo. Utilizaram-se estratégias para formar vínculo com as adolescentes e depois foi avaliado seu conhecimento prévio sobre conceitos importantes como: saúde bucal; placa bacteriana; escovação; fio dental; flúor; sangramento da gengiva; piercing oral e mau hálito. Em seguida foi promovida uma intervenção que visou a aumentar o conhecimento sobre os temas propostos para reduzir os riscos e agravos à saúde oral e geral das adolescentes. Resultados e Conclusões: Percebe-se que houve um ganho incipiente de conhecimento das adolescentes, mas existe a necessidade de um tempo maior para orientá-las de forma a fixarem os conteúdos apresentados. Também é necessário que haja um aproveitamento melhor dos espaços que o território oferece para disseminar informações sobre saúde bucal e, assim, criar vínculo entre os profissionais de odontologia e as adolescentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Claudia Regina de Campos Camargo, PUC Sorocaba

Cirurgiã Dentista

Concluindo Pós graduação em Saúde da Família.

Referências

Carta de Ottawa. Primeira Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde [Internet]. 1986 [acesso em 01 mar. 2016]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/carta_ottawa.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Saúde Bucal: caderno de atenção básica, 17. Brasília: Ministério da Saúde; 2008.

Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes da política nacional de saúde bucal [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2004 [acesso em 11 jan. 2016]. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/diretrizes_da_politica_nacional_de_saude_bucal.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Adolescentes promotores de saúde: uma metodologia para capacitação. Brasília: Ministério da Saúde; 2000.

Silva ES. Promoção da saúde do adolescente na atenção básica com ênfase na saúde sexual e reprodutiva [trabalho de conclusão de curso]. Governador Valadares: Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Medicina, Núcleo de Educação em Saúde Coletiva; 2010.

Brasil. Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Atenção à saúde do adolescente: saúde em cassa. Belo Horizonte: Secretaria do Estado de Minas Gerais; 2006.

Avery DR, Dean JA, McDonald RE. Odontopediatria para crianças e adolescentes. 9ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2011.

Lamelo KM, Weiler RM, Spezzia S, Jahn MR. O uso de piercing oral na adolescência e suas complicações. Rev UNINGÁ. 2015;21(2):14-8.

Morosolli AR, Moraes LC, Moraes ME, Zanotti GG. Piercing bucal: complicações e alternativas para o cirurgião dentista. Robrac. 2004;13(36):30-3.

Severo IF, Colares V, Rosenblatt A. Abordagem psicológica do adolescente pelos cirurgiões-dentistas da cidade do Recife. Rev Ibero-am Odontopediatr Odontol Bebê. 2004;7(38):377-86.

Cordeiro AB, Correa AK, Hora SA, Pontes AC. Odonto-hebiatria em saúde pública. Adolesc Saúde. 2008;5(3):13-9.

Arcieri RM, Rovida TA, Lima DP, Garbin AJ, Garbin CA. Análise do conhecimento de professores de educação infantil sobre saúde bucal. Educar Rev. 2013;(47):301-14.

Pauleto AR, Pereira ML, Cyrino EG. Saúde bucal: uma revisão crítica sobre programações educativas para escolares. Ciênc Saúde Coletiva. 2004;9(1):121-30.

Castro CO, Oliveira KS, Carvalho RB, Garbin CAS, Santos KT. Programas de educação e prevenção em saúde bucal nas escolas: análise crítica de publicações nacionais. Odontol Clín Cient. 2012;11(1):51-6.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2018-01-29

Como Citar

1.
Camargo CR de C, Cesaretti MLR. Saúde bucal em meninas adolescentes da Vila Sabiá no município de Sorocaba, São Paulo. Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba [Internet]. 29º de janeiro de 2018 [citado 1º de março de 2024];19(4):201-8. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/RFCMS/article/view/31674

Edição

Seção

Artigo Original