RAÇA E EDUCAÇÃO INFANTIL: À PROCURA DE JUSTIÇA

Nilma Lino Gomes

Resumo


O artigo analisa o lugar ocupado pela temática raça, infância e educação infantil na produção teórica educacional, com ênfase nos estudos do campo da educação infantil e do currículo. Argumenta que o conceito e a abordagem do currículo, na perspectiva da justiça curricular, podem se constituir um caminho possível na busca de um lugar teórico de legitimidade dos estudos que abordam essa temática, principalmente, aqueles produzidos por mulheres negras e pesquisadoras. Alerta para o fato de que as análises sobre raça, infância e educação infantil indagam e denunciam não somente as relações de poder e as desigualdades, mas, também a existência e os impactos do racismo que afetam de forma contundente a vida e a dignidade das crianças pequenas negras e suas famílias. Essa imbricação de fenômenos perversos está presente no cotidiano, nos currículos e nas práticas da educação infantil. Para maior compreensão dessa situação complexa, o artigo propõe que seja realizada a articulação teórica entre o conceito de justiça curricular e justiça cognitiva. 

 


Palavras-chave


Racismo; Educação Infantil; Justiça Curricular; Justiça Cognitiva

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOWICZ, Anete; OLIVEIRA, Fabiana de. As relações étnico-raciais e a sociologia da infância no Brasil: alguns aportes. In: BENTO, Maria Aparecida Silva (orgs.). Educação infantil, igualdade racial e diversidade: aspectos políticos, jurídicos, conceituais. São Paulo: Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades - CEERT, 2012. p. 47-64.

AFONSO, Lúcia. Gênero e processo de socialização em creches comunitárias. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 93, p. 12-21, 1995. ARAÚJO, Marlene de. Infância, educação infantil e relações étnico-raciais. Orientadora: Nilma Lino Gomes. 2015. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

ARROYO, Miguel González. Currículo, território em disputa. Petrópolis: Vozes, 2011.

ARROYO, Miguel González. O direito à educação e a nova segregação social e racial – tempos insatisfatórios? Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 31, n. 3, p. 15-47, jul./set. 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-4698150390

BENTO, Maria Aparecida Silva (org.). Educação infantil, igualdade racial e diversidade: aspectos políticos, jurídicos, conceituais. São Paulo: Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades - CEERT, 2012a.

BENTO, Maria Aparecida Silva. A identidade racial em crianças pequenas. In: BENTO, Maria Aparecida Silva (org.). Educação infantil, igualdade racial e diversidade: aspectos políticos, jurídicos, conceituais. São Paulo: Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades - CEERT, 2012b. p. 98-117.

BRASIL. Lei Nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 8, p. 1, 10 jan. 2003.

BRASIL. Lei No 10.741 de 1º de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 192, p. 1-6, 3 out. 2003.

BRASIL. Lei No 12.351, de 22 de dezembro de 2010. Dispõe sobre a exploração e a produção de petróleo, de gás natural e de outros hidrocarbonetos fluidos, sob o regime de partilha de produção, em áreas do pré-sal e em áreas estratégicas; cria o Fundo Social - FS e dispõe sobre sua estrutura e fontes de recursos; altera dispositivos da Lei no 9.478, de 6 de agosto de 1997; e dá outras providências. Brasília: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, [2010]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12351.htm. Acesso em: 25 jul. 2019.

BRASIL. Lei No 12.858, de 9 de setembro de 2013. Dispõe sobre a destinação para as áreas de educação e saúde de parcela da participação no resultado ou da compensação financeira pela exploração de petróleo e gás natural, com a finalidade de cumprimento da meta prevista no inciso VI do caput do art. 214 e no art. 196 da Constituição Federal; altera a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989; e dá outras providências. Brasília: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, [2013]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/L12858.htm. Acesso em: 25 jul. 2019.

CARTER, Robert T.; GOODWIN, A. Lin. Racial identity and education. Review of Research in Education, v. 20, p. 291-336, 1994.

CAVALLEIRO, Eliane dos Santos. Do silêncio do lar ao fracasso escolar: racismo, preconceito e discriminação na educação. São Paulo: Contexto, 2003.

DIAS, Lucimar Rosa. Diversidade étnico-racial e educação infantil: três escolas, uma questão, muitas respostas. Orientadora: Ana Lucia Eduardo Farah Valente. 1997. Dissertação. (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 1997.

DIAS, Lucimar Rosa. No fio do horizonte: educadoras da primeira infância e o combate ao racismo. Orientadora: Denice Barbara Catani. 2007. Tese (Doutorado em Educação) –Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

DUARTE, Madalena. Justiça social. In: CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS. Dicionário das crises e das alternativas. Coimbra: Almedina, 2012. p. 135-136.

FAZZI, Rita de Cássia. O drama racial de crianças brasileiras: socialização entre pares e preconceito. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. Tradução de Raul Fiker. São Paulo: Ed. UNESP, 1991.

GODOY, Eliete Aparecida. A representação étnica por crianças pré-escolares: um estudo à luz da teoria piagetiana. Orientador: Orly Zucatto Mantovani de Assis. 1996. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

GOMES, Nilma Lino. A mulher negra que vi de perto: o processo de construção da identidade racial de professoras negras. Belo Horizonte: Mazza Edições, 1995.

GOMES, Nilma Lino; SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves e. Experiências étnico-culturais para a formação de professores. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

GONÇALVES NETO, João da Cruz. Justiça Cognitiva e Educação Política. Seqüência, Florianópolis, n. 70, p. 189-209, jun. 2015.

MEDEIROS, Alexsandro M. Emancipação política e social. Sabedoria Política, 2015. Disponível em: https://www.sabedoriapolitica.com.br/products/emancipacao-politica-e-social/. Acesso em: 31 ago. 2019.

OLIVEIRA, Fabiana de. Um estudo sobre a creche: o que as práticas educativas produzem e revelam sobre a questão racial? Orientadora: Anete Abramowicz. 2004. Dissertação (Mestrado em Educação) –Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2004.

OLIVEIRA, Inês Barbosa. Utopias praticadas: justiça cognitiva e cidadania horizontal na escola pública. Instrumento: Revista de Estudos e Pesquisas Educacionais, Juiz de Fora, v. 15, n. 2, p. 191-200, jul./dez. 2013.

PONCE, Branca Jurema; NERI, Juliana Fonseca O. O currículo escolar em busca da justiça social: a violência doméstica contra a criança e o adolescente. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 331-349, abr./jun. 2015.

ROSEMBERG, Fulvia. A criança pequena e o direito à creche no contexto dos debates sobre infância e relações raciais. In: BENTO, Maria Aparecida Silva. (org). Educação infantil, igualdade racial e diversidade: aspectos políticos, jurídicos, conceituais. São Paulo: Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades - CEERT, 2012. p. 11-46.

SANTIAGO, Flávio. Gritos sem palavras: resistências das crianças pequenininhas negras frente ao racismo. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 31, p. 129-153, 2015.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Por uma pedagogia do conflito. In: SILVA, Luiz Heron et al. (orgs.). Novos mapas culturais, novas perspectivas educacionais. Porto Alegre: Editora Sulina, 1996. p. 15-33.

SANTOS, Boaventura Souza. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS, Boaventura Souza; MENESES, Maria Paula (orgs.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010. p. 31-83.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 7. ed. Porto: Edições Afrontamento, 1999.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A ecologia dos saberes. In: SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006. p. 137-165.

SILVA, Luiz Etevaldo. O sentido e o significado sociológico de emancipação. Revista e-Curriculum, São Paulo, n. 11, v. 3, p. 751-765, set./dez. 2013.

SOUZA, Ellen Gonzaga Lima; SANTIAGO, Flávio; DE FARIA, Ana Lúcia Goulart. As culturas infantis interrogam a formação docente: tessituras para a construção de pedagogias descolonizadoras. Revista Linhas, Florianópolis, v. 19, n. 39, p. 80-102, jan./abr. 2018.

SOUZA, Yvone Costa de. Crianças negras: deixei meu coração embaixo da carteira. Porto Alegre: Mediação, 2002.

TRINIDAD, Cristina Teodoro. Identificação étnico-racial na voz de crianças em espaços de educação infantil. Orientadora: Cláudia Leme Ferreira Davis. 2011. Tese (Doutorado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2019v17i3p1015-1044

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais