ELABORAÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO PARA O ENSINO DE PORTUGUÊS COMO LÍNGUA DE ACOLHIMENTO: PARÂMETROS E PERSPECTIVAS

Izabel Cristina Silva Diniz, Júnia Moreira da Cruz

Resumo


O Brasil tem recebido refugiados e demais imigrantes de diversas partes do mundo. Ao penetrarem em outro cenário sociocultural, esses estrangeiros entram em contato com uma nova língua, que se torna instrumento no processo de integração social. Sendo esse o contexto de investigação, propomos uma discussão quanto à produção de material didático para esse público específico, bem como sobre o termo língua de acolhimento. Para tanto, apresentamos entrevistas com professores voluntários de língua portuguesa. Ademais, com esse estudo, buscamos identificar quais abordagens de ensino de língua são consideradas no processo de ensino-aprendizagem de português como língua de acolhimento. Os resultados apontam para um grande desafio a ser enfrentado.


Palavras-chave


Língua de acolhimento, Material didático, Imigrantes, Refugiados

Texto completo:

PDF

Referências


ACNUR – Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados. Estatísticas. Disponível em: http://www.acnur.org/portugues/recursos/estatisticas/. Acesso em: 14 out. 2017.

_______. Dados sobre refúgio no Brasil. Disponível em: http://www.acnur.org/portugues/recursos/estatisticas/dados-sobre-refugio-no-brasil/. Acesso em: 14 out. 2017.

ADUS – Instituto de Reintegração do Refugiado – Brasil. Disponível em: http://www.adus.org.br/. Acesso em: 20 ago. 2016.

ALMEIDA FILHO, J. C. P. 1993. Dimensões comunicativas no ensino de línguas. Campinas, SP: Pontes.

AMADO, R.S. 2013. O ensino de português como língua de acolhimento para refugiados. Revista da Sociedade Internacional Português Língua Estrangeira, Edição 7, Ano 4, n.2. Brasília.

BIZON, A. C. C. 2013. Narrando o exame Celpe-Bras e o convênio PEC-G: a construção de territorialidades em tempos de internacionalização. Tese de Doutorado em Linguística Aplicada. Universidade Estadual de Campinas.

CABETE, M. A. C. S. S. 2010. O processo de ensino-aprendizagem do português enquanto língua de acolhimento. Dissertação de Mestrado em Língua e Cultura Portuguesa. Universidade de Lisboa.

DELL´ISOLA, R. L. P. 2009. Gêneros textuais em livros didáticos de português língua estrangeira: o que falta? In DIAS, R.; CRISTÓVÃO, V.L.L (orgs.) O livro didático de língua estrangeira: múltiplas perspectivas. Campinas: Mercado de Letras, p.99-120.

FERNANDES, G. R. R., FERREIRA, T. S. B e RAMOS, V. L. 2008. Muito prazer: fale o português do Brasil. Barueri, SP: Disal.

GROSSO, M. J. R. 2010. Língua de acolhimento, língua de integração. In: Horizontes de Linguística Aplicada. Brasília, v.9, n.2, p.61-77.

JORDÃO, C. M. 2014. Birds of different feathers: algumas diferenças entre letramento crítico, pedagogia crítica e abordagem comunicativa. In TAKAKI, N. H.; MACIEL, R. F. (orgs.). Letramentos em terra de Paulo Freire. Campinas: Pontes editores.

MATTOS, A. M. A. e VALÉRIO, K. M. 2010. Letramento crítico e ensino comunicativo: lacunas e interseções. RBLA, Belo Horizonte, v. 10, n.1, p. 135-158. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbla/v10n1/08.pdf. Acesso em: 14 out. 2017.

MENDES, E. 2004. Abordagem comunicativa intercultural: uma proposta para ensinar e aprender língua no dialogo de culturas. Tese de Doutorado em Linguística Aplicada. Universidade Estadual de Campinas.

MOREIRA JÚNIOR, R. S. 2015. Português como língua adicional e letramento crítico: análise das experiências com alunos estrangeiros. Anais do International Congress of Critical Applied Linguistics. Brasília, Brasil – 19-21 outubro. Disponível em: ˂http://www.uel.br/projetos/iccal/pages/arquivos/ANAIS/PRATICA(S)/PORTUGUES%20COMO%20LINGUA%20ADICIONAL%20E%20LETRAMENTO%20CRITICO.pdf˃. Acesso em: 26 mar. 2017.

OLIVEIRA, J. F. et al. 2015. Português do Brasil pra refugiados e refugiadas: Pode Entrar. São Paulo. Material digital. Disponível em: http://www.acnur.org/t3/fileadmin/Documentos/portugues/Publicacoes/2015/Pode_Entrar.pdf. Acesso em: 15 out. 2017.

PPPLE. Unidades didáticas. Disponível em: http://www.ppple.org/. Acesso em: 4 set. 2016.

REZENDE, P. S. 2010. A constituição identitária de refugiados em São Paulo: moradias na complexidade do ensino-aprendizagem de português como língua estrangeira. Tese de Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.




DOI: https://doi.org/10.23925/2318-7115.2018v39i2a5

Indexicadores

Apoio

A Revista The Especialist e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Lincença Creative Commons: Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)