Ser, na verdade, um deus: da precedência da poesia à divinização do homem em Nietzsche e Pessoa

Carina Marques Duarte

Resumo


O objetivo deste trabalho é demonstrar que as vozes de Fernando Pessoa e Nietzsche se afinam na afirmação da precedência da poesia e na defesa do caráter divino do homem. Para tanto, apoia-se nas formulações dos autores acima referidos e nas de Vico, Shelley, Octavio Paz e George Steiner. Os resultados apontam que Pessoa-Campos e Nietzsche elaboram a analogia entre o poeta – no caso, do autor de Assim Falava Zaratustra, o filósofo – e Deus.


Palavras-chave


Poesia; Filosofia; Fernando Pessoa; Nietzsche; Divinização do homem

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em:

Apoio: