COMUM PARA QUEM?

Todd Alan Price

Resumo


O objetivo deste ensaio “Comum para quem?” é explicar a um público amplo, internacional, a ideia geral da reforma da educação nos Estados Unidos e a necessidade desta ser entendida no contexto de uma agenda política maior, defendida por uma coagulação das forças corporativas e federais para assumir o controle da educação pública. Esta história é, certamente, de âmbito nacional e se reflete com toda a certeza e complexidade nos  Padrões do Currículo Comum estabelecidos pelo Estado. No entanto, agendas políticas maiores não são visíveis no ar e os detalhes em ambientes locais, incluindo o meu próprio estado de Wisconsin, são fundamentais para a compreensão dos "quadros", através do qual coligações de oposição e apoio à educação pública são formados. Assim, neste ensaio, detalhadamente, o autor − que é alternadamente professor, vídeo-documentarista e defensor da educação pública − personaliza o que esta tomada de controle da educação pública aparenta, de dentro da luta. Para concluir, uma das principais constatações é que a luta contra o Currículo Nacional Comum, enquanto autenticamente significativa, muitas vezes é desagregada (intencionalmente?) do ataque generalizado ao ensino público sob a forma de cortes no financiamento da escola, subsídios à  escolas privadas usando os impostos pagos pelos contribuintes, e modelos de valor agregado que ligadas por avaliações de desempenho e consequente remuneração de professores limitam a autonomia profissional do professor e do pesquisador na formação de professores.


Palavras-chave


base nacional curricular comum; educação pública; professores

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais