A BNCC e o papel do professor de Língua Portuguesa

Marilúcia dos Santos Domingos Striquer

Resumo


Como a Base Nacional Curricular Comum é o documento prescritivo da ação pedagógica mais recente no país, e diante da importância do professor como o responsável direto e imediato pela transposição das prescrições para a sala de aula, interessamo-nos em investigar quais as responsabilidades pré-definidas aos professores de língua portuguesa na BNCC, buscando responder à questão: os professores são concebidos pelo documento como atores responsáveis por suas ações ou como agentes? Para tanto, pautamo-nos nos preceitos teóricos-metodológicos do Interacionismo Sociodiscursivo. Os resultados demonstram que são vários os envolvidos na produção e nas ações de pôr em prática a BNCC, entre eles o professor. Contudo, ao professor é atribuído o papel de agente, simples participante de um processo sobre o qual não lhe são atribuídas responsabilidades, cabe a ele apenas colaborar para que os objetivos da BNCC sejam alcançados.


Palavras-chave


BNCC, Documentos prescritivos da ação docente, Professores da educação básica

Texto completo:

PDF

Referências


AMIGUES, R. Trabalho do professor e trabalho de ensino. In: MACHADO, A.R. (org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina: Eduel, 2004, p. 35-53.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Língua Portuguesa. Brasília. Secretaria de Educação Fundamental, 1997.

_______. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Língua Portuguesa. Brasília. Secretaria de Educação Fundamental, 1998.

BRASÍLIA. Orientações Curriculares para o ensino médio: Linguagens, códigos e suas tecnologias. Secretaria de Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.

_______. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília, 2017.

BRONCKART, J.P. Atividade de linguagem, discurso e desenvolvimento humano. Tradução Anna Rachel Machado, Maria de Lourdes Meirelles Matencio. Campinas-SP: Mercado das Letras: 2006.

_______. Atividade de linguagem, textos e discurso: por um interacionismo sociodiscursivo. Tradução Anna Rachel Machado e Péricles Cunha. 2. ed. São Paulo: EDUC, 2009.

_______; MACHADO, A.R. Procedimentos de análise de textos sobre o trabalho educacional. In: MACHADO, A.R. (org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina-Pr: Eduel, 2004, p. 131-163.

BULEA, E. Linguagem e efeitos desenvolvimentais da interpretação da atividade. Campinas: Mercado das Letras, 2010.

MACHADO, A.R. et al. Relações entre linguagem e trabalho educacional: novas perspectivas e métodos no quadro do Interacionismo Sociodiscurdivo. In: MACHADO, A.R. Linguagem e educação: o trabalho do professor em uma nova perspectiva. Organização Vera Lúcia Lopes Cristóvão e Lilia Santos Abreu-Tardelli. Campinas-SP: Mercado de Letras, 2009, p. 15-29.

_______; BRONCKART, J.P. (Re-)configurações do trabalho do professor construídas nos e pelos textos: a perspectiva metodológica do grupo ALTER-LAEL. In: MACHADO, A.R. Linguagem e educação: o trabalho do professor em uma nova perspectiva. Organização Vera Lúcia Lopes Cristóvão e Lilia Santos Abreu-Tardelli. Campinas-SP: Mercado de Letras, 2009. p. 31-77.

SAUJAT, F. O trabalho do professor nas pesquisas em educação: um panorama. In: MACHADO, A.R. (org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina/PR: Eduel, 2004, p. 3-34.

SOUZA-E-SILVA, M.C.P. O ensino como trabalho. In: MACHADO, A.R. (org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina/PR: Eduel, 2004, p. 81-104.




DOI: https://doi.org/10.23925/2318-7115.2019v40i1a3

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexicadores

Apoio

A Revista The Especialist e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Lincença Creative Commons: Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)