A BNCC e o ensino de inglês para crianças: análise de materiais didáticos para a faixa etária de 6 a 10 anos

Reinildes Dias, Kleber Aparecido da Silva

Resumo


Esta investigação analisa dois materiais didáticos, um impresso e um digital, no âmbito do ensino de inglês para crianças, sob o viés dos “Campos de Experiência” preconizados pela Base Nacional Curricular Comum (BNCC), (BRASIL, 2018). Enfatiza a visão de linguagem/aprendizagem como ação social, em concordância com esse documento oficial. O estudo insere-se no âmbito da investigação qualitativa com a adoção do método da pesquisa documental para a compreensão e produção de conhecimento acerca dos dois documentos selecionados para análise, o Super Seek and Find (CRICHTON et al., 2018) e o site de responsabilidade do British Council intitulado, LearnEnglish Kids[1]. Os resultados mostram que ambos os materiais incorporam, em maior ou menor profundidade, os cinco “campos de experiência” em suas atividades, embora o material digital consiga explorá-los em uma diversidade maior de ações pedagógicas para o ensino de inglês para crianças.


[1] Confira em: https://learnenglishkids.britishcouncil.org

  Grafia do título: LearnEnglish

 


Palavras-chave


BNCC, materiais didáticos, inglês para crianças, contexto brasileiro

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. 2003. Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes.

BRASIL. 2018. Base Nacional Comum Curricular. Disponível online em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf. Acesso em: 15 jun. 2018

BRASIL. 2009. Resolução CNE/CEB nº 5/2009. Disponível online em:

http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/pceb020_09.pdf. Acesso em: 12 jun. 2018.

BRAVO, R. S. 1991.Técnicas de investigação social: teoria e ejercicios. 7. ed. Madrid: Paraninfo.

BRITISH COUNCIL. LearnEnglish Kids. Disponível em: http://learnenglishkids.britishcouncil.org/en. Acesso em: 15 jun. 2018

CRICHTON et al. 2018. Super Seek and Find. São Paulo: Macmillan.

FAHIM, M.; M. HAGHANI. 2012. Sociocultural Perspectives on Foreign Language Learning. Journal of Language Teaching and Research. 3.4: 693-699. Disponível online em: http://www.academypublication.com/issues/past/jltr/vol03/04/14.pdf. Acesso em: 15 jun. 2018.

GIL, A. C. 1991. Como elaborar projetos de pesquisa. 3. ed. São Paulo: Atlas.

HYLAND, K. 2004. Second Language Writing. Cambridge: Cambridge University Press.

KRESS, G. 2010. Multimodality: A social semiotic approach to contemporary communication. New York: Routledge.

LUDKE, M.; ANDRE, M. E. D. A. 1986. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E.P.U.

SILVA et al., 2009. Pesquisa documental: alternativa investigativa na formação docente. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO – EDUCERE, 9., 26 a 29 de 2009, / III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia, Paraná. Anais... Paraná: PUCPR. Disponível online em: http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2009/3124_1712.pdf. Acesso em: 15 jun. 2018.

VYGOTSKY, L.S. 2003. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes.

WOOD, D. et al. 1976. The role of tutoring in problem solving. Journal of child psychology, 17: 89-100.




DOI: https://doi.org/10.23925/2318-7115.2019v40i1a2

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexicadores

Apoio

A Revista The Especialist e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Lincença Creative Commons: Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)