Ensino bilíngue e inclusão de estudantes surdos no ensino regular: análise de uma carta aberta dos primeiros doutores surdos brasileiros em Educação e Linguística

Letícia Jovelina Storto, Luiz Renato Martins da Rocha, Gilmar de Carvalho Cruz

Resumo


Neste texto, objetivamos realizar uma leitura da carta aberta dos primeiros doutores surdos que atuam em Educação e em Linguística, em solo brasileiro, enviada em junho de 2012 ao então ministro da educação. Na carta, seus autores discutem a respeito do ensino dirigido aos estudantes surdos no país, defendendo um modelo de ensino considerado por eles como o mais coerente a tal contexto. Para tanto, apresentamos uma breve reflexão a respeito das filosofias existentes no processo de ensino/aprendizagem desses sujeitos. Adotamos a metodologia de pesquisa bibliográfica e documental, pois realizamos um levantamento teórico das questões que envolvem o ensino e a inclusão de alunos surdos brasileiros e examinamos uma carta aberta como fonte e objeto de pesquisa. Na carta, os autores defendem o bilinguismo na educação de surdos, argumentando em defesa de tal perspectiva como aquela que melhor condiz com a inclusão escolar desses sujeitos.


Palavras-chave


Carta aberta, Ensino, Inclusão, Surdos, Bilinguismo

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, Casa Civil. Decreto nº 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7611.htm. Acesso em: jul. 2019.

BRASIL, Casa Civil. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm. Acesso em: jul. 2019.

BRASIL, Casa Civil. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Regulamento dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm. Acesso em: jul. 2019.

BRASIL, Casa Civil. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: jul. 2019.

CAPOVILLA, Fernando César. Filosofias educacionais em relação ao surdo: do oralismo à comunicação total ao bilinguismo. Revista Brasileira de Educação Especial, v.6, n.1, p.99-116, 2000.

CAPOVILLA, Fernando César; RAPHAEL, Walkiria Duarte; MAURICIO, Aline Cristina L. Novo Deit-Libras: dicionário enciclopédico ilustrado trilíngue da língua de sinais brasileira. São Paulo: EDUSP, 2006.

CAMPELLO, Ana Regina e Souza et al. Carta aberta ao Ministro da Educação: elaborada pelos sete primeiros doutores surdos brasileiros, que atuam nas áreas de educação e linguística. (8 jun. 2012). Disponível em: http://marianahora.blogspot.com.br/2012/06/carta-aberta-dos-doutores-surdos.html. Acesso em: jul. 2019.

CICCONE, Marta. Comunicação total. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 1990.

DIZEU, Liliane Correia Toscano de Brito; CAPORALI, Sueli Aparecida. A língua de sinais constituindo o surdo como sujeito. Educ. Soc., Campinas, vol.26, n.91, p.583-597, maio/ago. 2005.

FERNANDES, Sueli; MOREIRA, Laura Ceretta. Desdobramentos politico-pedagógicos do bilinguismo para surdos: reflexões e encaminhamentos. Revista “Educação Especial”, Santa Maria, v.22, n.34, p.225-236, maio/ago. 2009. Disponível em: http://www.ufsm.br/revistaeducacaoespecial. Acesso em: jul. 2019.

FERNANDES, Eulália. Linguagem e surdez. Porto Alegre: Artmed, 2003.

GESSER, Audrei. Libras? Que língua é essa?: crenças e preconceitos em torno da língua de sinais e da realidade surda. São Paulo: Parábola, 2009.

GOLDFELD, Marcia. A criança surda: linguagem e cognição numa perspectiva sociointeracionista. 2. ed. São Paulo: Plexus, 2002.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Censo Demográfico 2010: características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/94/cd_2010_religiao_deficiencia.pdf. Acesso em: jul. 2019.

HIRATA, Tirza Cosmos dos Santos; DUTRA, Alessandra; STORTO, Letícia Jovelina. Inclusão de aluna surda no ensino profissionalizante em escola pública da cidade de Londrina. Reveduc – Revista Eletrônica de Educação, v. 7, n. 3, p.205-225, 2013. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/499. Acesso em: jul. 2019.

KLIMA, Edward; BELLUGI, Ursula. The signs of language revisited. Cambridge, MA: Harvard University, 1979.

LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de. Intérprete de Libras: em atuação na educação infantil e no ensino fundamental. Porto Alegre: Mediação/FAPESP, 2009.

MASON, David; EWOLDT, Carolyn. Whole language and deaf bilingual-bicultural education: naturally! American Annals of the Deaf, v.141, n.4, p. 293-298, October 1996. Disponível em: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.826.3287&rep=rep1&type=pdf. Acesso em: jul. 2019.

MEGALE, Antonieta Heyden. Bilinguismo e educação bilíngue: discutindo conceitos. Revista Virtual de Estudos da Linguagem – ReVEL, v.3, n.5, p.1-13, ago. 2005.

PEDREIRA, Silvia Maria Fangueiro. Educação inclusiva de surdos/as numa perspectiva intercultural. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 30, 2007, Caxambu, MG. Anais... Caxambú, MG: ANPED, 2007.

PEREIRA, Rachel de Carvalho. Surdez: aquisição de linguagem e inclusão social. Rio de Janeiro: Revinter, 2008.

QUADROS, Ronice Müller de. Língua Brasileira de Sinais. (4 de março de 2011). Disponível em: http://www.ronice.cce.prof.ufsc.br/index_arquivos/Page568.htm. Acesso em: jul. 2019.

QUADROS, Ronice Müller de. Educação de surdos: a aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artmed, 2008.

QUADROS, Ronice Müller de; KARNOPP, Lodenir Becker. Língua de Sinais Brasileira: estudos lingüísticos. Porto Alegre: Artes Médicas, 2004.

SÁNCHEZ, Carlos. La increible y triste historia de la sordera. Merida, Venezuela: Ceprosord, 1990.

SILVA, Ivani Rodrigues; FAVORITO, Wilma. Surdos na escola: letramento e bilingüismo. Campinas, SP: MEC/Cefiel/IEL/UNICAMP, 2009.

SKLIAR, Carlos. Bilingüismo e biculturalismo: uma análise sobre as narrativas tradicionais na educação dos surdos. Tradução de Lólio Lourenço de Oliveira. Revista Brasileira de Educação, n.8, p.44-57, maio/jun./jul./ago. 1998. SKLIAR, Carlos et alli. Educação & exclusão: abordagens sócio-antropológicas em educação especial. Porto Alegre: Mediação, 1997.

STOKOE, William C. Sign language structure. Silver Spring: Linstok Press, [1960] 1978.

STROBEL, Karin Lilian. Surdos: vestígios não registrados na História. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2008.

VELOSO, Éden; MAIA, Valdeci. Aprenda Libras com eficiência e rapidez. 4. ed. Curitiba: Mãosinais, 2009.




DOI: https://doi.org/10.23925/2318-7115.2019v40i3a10

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexicadores

Apoio

A Revista The Especialist e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Lincença Creative Commons: Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)