O GeoGebra como ferramenta de apoio para aprendizagem significativa da Geometria

Astrigilda Pires Rocha Silveira

Resumo


No âmbito do Programa Doutoral em Multimédia em Educação desenvolveu-se uma investigação essencialmente qualitativa, cuja finalidade é avaliar a influência de um Programa de Formação Contínua, com foco nas Transformações Geométricas Isométricas no plano euclidiano com recurso ao GeoGebra, no desenvolvimento de competências Curriculares, Didáticas, Matemáticas e Tecnológicas de professores e/ou dos seus respetivos alunos. Em particular, esta conferência tem como propósito mostrar que o GeoGebra revelou ser um ambiente estimulante para a aprendizagem significativa dos conteúdos geométricos, levando os professores e alunos, de uma forma dinâmica, a construir, visualizar, manipular e estabelecer as relações entre as propriedades dos objetos geométricos. 


Palavras-chave


GeoGebra; Formação Contínua de Professores; Aprendizagem Significativa da Geometria. Résumé

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. (2001). Informática e formação de professores. Brasília: Ministério da Educação – Proinfo. Disponível em: http://www.intaead.com.br/ebooks1/livros/pedagogia/27.Inform%E1tica%20e%20a%20Forma%E7%E3o%20de%20Professores.pdf (acedido 19 de Março de 2013)

BREDA, A., SERRAZINA, L., MENEZES, L., SOUSA, L., & OLIVEIRA, P. (2011). Geometria e Medida no Ensino Básico. Lisboa: Ministério da Educação, Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular.

CABRITA, I. (1998). Resolução de problemas: aquisição do modelo de proporcionalidade directa apoiada num documento hipermédia. Tese de Doutoramento. Universidade de Aveiro, Aveiro.

CABRITA, I. (2008). m@c1 e m@c2 – Programa de Formação Contínua em Matemática com Professores do Ensino Básico. Em J. M. PARASKEVA e L. L. OLIVEIRA (org.), Currículo e Tecnologia Educativa. 2(8), 231-264. Mangualde: Edições Pedago, Lda. ISBN: 978-972-8980-75-7.

CANDEIAS, N. (2008). Geometria no ensino da Matemática. In Ana Paula Canavarro (org), 20 Anos de temas na EeM, 14-25. APM. Lisboa.

CANHA, M. (2013). Colaboração em Didática – Utopia, Desencanto e Possibilidade. (Tese de doutoramento). Departamento de Educação. Aveiro: Universidade de Aveiro.

COELHO, A. (2013). GeoGebra e iTALC numa abordagem criativa das isometrias. (Dissertação de mestrado). Aveiro: Universidade de Aveiro.

DOMINGOS, A., & VIEIRA, M. J. (2012). A utilização do Geometer’s Sketchpad na aula de Matemática: O papel desempenhado pelas tarefas. Educação e Matemática, 118, 31-34.

ERICKSON, F. (1986). Qualitative methods in research on teaching. In M. C. Wittrock (Ed.), Handbook of research on teaching (pp. 119-161).

GASPAR, J. (2013). Abordagem criativa das isometrias para a criatividade em Matemática. (Dissertação de mestrado). Aveiro: Universidade de Aveiro.

HOHENWARTER, M., & PREINER, J. (2007). Dynamic Mathematics With GeoGebra. Disponível em: http://www.maa.org/joma/Volume7/Hohenwarter/index.html (acedido 17 de Abril de 2012).

KING, J., & SCHATTSCHNEIDER, D. (2003). Geometria dinâmica. Selecção de textos do livro Geometry Turned On! Lisboa: APM. ISBN: 972-8768-06-0.

LOUREIRO, C. (2009). Geometria no Novo Programa de Matemática do Ensino Básico. Contributos para uma gestão curricular reflexiva, Educação e Matemática, 105, 61-66. Lisboa: APM.

MARIOTI, M. A. (1999). Geometry: dynamic intuition and theory. Dipartamento di Matematica Università di Pisa. Itália. Disponível em: http://www.math.uoa.gr/me/conf2/papers/mariotti.pdf (acedido 7 de Junho de 2012).

MERRIAM, S. B. (1998). Qualitative research and case study applications in education. San Francisco: Jossey-Bass.

NCTM (2000). Principles and standards for school mathematics. Reston, VA: NCTM.

NCTM (2008). Princípios e Normas para a Matemática Escolar (2.a Edição). Lisboa: APM. (Texto original publicado em inglês em 2000). ISBN: 978-972-8768-24-9.

OLIVEIRA, L. & SILVA, S. (2012). O programa GESTAR II de Matemática no município de Ipatinga: Uma possibilidade de abertura de um espaço intersticial de formação continuada. In D. MOTTA DE OLIVEIRA (Ed.), Formação continuada de professores: contribuições para o debate (pp. 131-144).

PONTE J. P., SERRAZINA, L. GUIMARÃES, H., BREDA, A., GUIMARÃES, F., SOUSA, H., MENEZES, L., MARTINS, M. E. G., & OLIVEIRA, P. A. (2007). Programa de Matemática do Ensino do Ensino Básico. Lisboa: Ministério da Educação, Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular.

PONTE, J. P. (2002). Investigar a nossa própria prática. In GTI (Org), Reflectir e investigar sobre a prática profissional (pp. 5-28). Lisboa: APM

PONTE, J. P. (2006). Estudos de caso em Educação Matemática. Bolema, 25, 105-132.

PONTE, J. P., & SERRAZINA, L. (2000). Didáctica da Matemática para o 1o ciclo do ensino básico. Lisboa: Universidade Aberta.

RIBEIRO, A. (2005). O Cabri-Géomètre e a construção de uma nova cultura Matemática. (Tese de Doutoramento). Universidade de Aveiro, Aveiro.

ROCHA, G., SEGURADO, I., & CAPELA, M. (2010). O perímetro com recurso ao GeoGebra. In Grupo de Trabalho de Investigação (Ed.). O Professor e o Programa de Matemática do Ensino Básico (pp. 121-138). Lisboa: APM.

SERRAZINA, M.L., CANAVARRO, A.P., GOUVEIA, M. J., GUERREIRO, A., ROCHA, I. & PORTELA, J. (2005/06 a 2007/08). Programa de Formação Contínua em Matemática para Professores dos1o e 2ociclos do Ensino Básico. DGIDC.

SILVA, R. (2005). Análise e avaliação do Cabrie-Géomètre – um estudo no 9o ano de escolaridade no âmbito da Geometria. (Dissertação de mestrado). Universidade de Aveiro, Aveiro.

SILVEIRA, A. (2015). O GeoGebra na formação e aprendizagem de transformações geométricas isométricas no plano euclidiano. (Tese de doutoramento). Aveiro: Universidade de Aveiro.

SILVEIRA, A. & CABRITA, I. (2012a). GeoGebra: uma alternativa para o ensino e aprendizagem da Geometria. I WorkShop Internacional sobre o ensino da Língua Portuguesa, Matemática e Disciplinas Afins. Praia: Universidade de Cabo Verde.

SILVEIRA, A. & CABRITA, I. (2012b). Oficina de formação para Professores dos Ensinos Básico e Secundário: Geometria e potencialidades do GeoGebra. I WorkShop Internacional sobre o ensino da Língua Portuguesa, Matemática e Disciplinas Afins. Praia: Universidade de Cabo Verde.

SILVEIRA, A. & CABRITA, I. (2013). O GeoGebra como ferramenta de apoio à aprendizagem significativa das Transformações Geométricas Isométricas no plano euclidiano. Indagatio Didactica, 5(1), 149-170.

STAKE, R. E. (2009). A Arte da Investigação com Estudos de Caso (2a Edição). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2009. ISBN 978-972-31-1187-3.

VELOSO, E., & CANDEIAS, N. (2003). Prefácio. In J. King & D. Schattschneider (Eds.). Geometria dinâmica. Selecção de textos do livro Geometry Turned On! Lisboa: APM. ISBN: 972-8768-06-0.

YIN, R. K (2005). Estudo de caso. Planeamento e Métodos (3a Edição). São Paulo: BOOKMAN. ISBN: 0-7619-2553-8.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista do Instituto Geogebra Internacional de São Paulo está indexada nas seguintes bases:

             

 

        

   

Revista do Instituto GeoGebra internacional de São Paulo (IGISP) E- ISSN 2237-9657  (versão eletrônica)

Qualis/Capes: Qualis A3 na avaliação de Qualis/Capes (2017/2018)

Licença que permite que outros compartilhem o trabalho com um reconhecimento da autoria do mesmo e publicação inicial nessa revista GeoGebra.

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.