AVALIAÇÕES EM LARGA ESCALA E EDUCAÇÃO INTEGRAL NO ENSINO MÉDIO

Maria Lucivânia Souza dos Santos, Katharine Ninive Pinto Silva

Resumo


Este artigo trata de resultados parciais de pesquisa que teve como problema saber qual o impacto das políticas de avaliação educacional para a melhoria da qualidade da educação, segundo as concepções dos sujeitos envolvidos no processo educacional, no contexto da Rede Estadual de Pernambuco. Neste artigo, buscamos evidenciar como os sujeitos envolvidos no processo de avaliação educacional do estado Pernambuco avaliam essas políticas de avaliação adotadas. Como procedimentos metodológicos, utilizamos a análise documental e a análise de entrevistas semiestruturadas com gestores, docentes e técnicos educacionais e escolares relacionados com o objeto de estudo. As nossas conclusões são que o tempo integral e a opção pelo reforço escolar em torno das disciplinas que norteiam as avaliações em larga escala geram estreitamento curricular e se aliam a medidas de correção de fluxo escolar para garantir a melhoria dos resultados do Estado de Pernambuco no ranking do IDEB e no cenário nacional, como referência de qualidade de ensino médio público.


Palavras-chave


Ensino Médio; Educação Integral; Avaliação em larga escala; Qualidade da Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALGEBAILE, Eveline Bertino. Escola pública e pobreza no Brasil: a ampliação para menos. Rio de Janeiro/RJ: FAPERJ, 2009. ALVES, Giovanni. Trabalho e Mundialização do Capital - A Nova Degradação do Trabalho na Era da Globalização. Londrina/PR: Práxis, 1999.

BAUER, Martin W. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: Bauer Martin W., Gaskell George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 3. ed. Petrópolis/RJ: Vozes; 2002. p.189-217.

BENITTES, Valéria Lima Andrioni. A Política de Ensino Médio no Estado de Pernambuco: Um Protótipo de Gestão da Educação em Tempo Integral. Orientador: Jamerson Antonio de Almeida da Silva. 2014. (Dissertação de Mestrado) - Universidade Federal de Pernambuco, Caruaru/PE, 2014.

CABRAL NETO, Antônio Cabral et al. Pontos e Contrapontos da Política Educacional: uma leitura contextualizada de iniciativas governamentais. Brasília/DF: Liber Livro Editora, 2007.

FREITAS, Luiz Carlos de. Os Reformadores Empresariais da Educação: da Desmoralização do Magistério à Destruição do Sistema Público de Educação. Educação & Sociedade, v. 33, n. 119, p. 379-404, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v33n119/a04v33n119.pdf. Acesso em 30 jul. 2019.

FREITAS, Luiz Carlos de; SORDI, Maria Regina Limes de; MALAVALIS, Maria Márcia Sigrist;

FREITAS, Helena Costa Lopes de. Avaliação Educacional – Caminhando pela Contramão. 6. ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 2014.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Os delírios da razão: Crise do capital e metamorfose conceitual no campo educacional. In: GENTILI, Pablo (org.). Pedagogia da exclusão: crítica ao neoliberalismo em educação. 19. ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 2013. p. 77-108.

JANELA AFONSO, Almerindo. Políticas Educativas e Avaliação Educacional. Braga/Portugal: Universidade do Minho, 1999.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social – teoria, método e criatividade. 21. ed. Petropólis/RJ: Vozes, 2002.

MORAIS, Edima Verônica de. Utilizações das Escolas de Referência dm Ensino Médio pelo Governo do Estado de Pernambuco: Uma análise do Programa de Educação Integral. Orientador: Jamerson Antônio Almeida da Silva. 2013. (Dissertação de Mestrado) – Universidade Federal de Pernambuco, Caruaru/PE, 2014.

RAVITCH, Diane. Vida e morte do grande sistema educacional americano: como os testes padronizados e o modelo de mercado ameaçam a educação. Porto Alegre/RS: Sulina, 2011.

RIBEIRO, Denise da Silva. Sistema de avaliação do rendimento escolar do Estado de São Paulo (SARESP): a educação a serviço do capitalismo. Orientador: Jose Luis Sanfelice. 2008. (Dissertação de Mestrado) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas/SP, 2008.

SANTIAGO, Frederico Marcio Leandro. Educação e Desenvolvimento em Pernambuco entre 2004 e 2014: Desvelando os nexos do Programa de Educação Integral com o rejuvenescimento da Teoria do Capital Humano. Orientador: Jamerson Antônio de Almeida da Silva. 2014. (Dissertação de Mestrado) – Universidade Federal de Pernambuco, Caruaru/PE, 2014.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. 4. ed. Campinas/SP: Autores Associados, 2014.

VIÇOTI, Maria Aparecida da Silva. A Política Educacional da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo no Período de 1999 a 2002: Possibilidades e Limites da Autonomia da Escola Pública. Orientador: Pedro Ganzeli. 2010. (Dissertação de Mestrado) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas/SP, 2010. WITMANN, Lauro Carlos et al. Conselho Escolar como espaço de formação humana: círculo de cultura e qualidade da educação. Brasília/DF: Ministério da Educação/Secretaria de Educação Básica, 2006.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2019v17i3p1312-1331

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais