GESTÃO PEDAGÓGICA E QUALIDADE SOCIAL DA EDUCAÇÃO: CONTRIBUIÇÕES DA PESQUISA COLABORATIVA EM ESCOLAS DE SÃO CAETANO DO SUL

Sanny Silva da Rosa, Géssica Natália Campos, Maria Isabel Padovan, Vanessa Maria Vicente Umemura

Resumo


O artigo discute possibilidades de enfrentamento da lógica hegemônica das políticas de resultado que afetam a gestão pedagógica da escola e modificam o próprio sentido da educação. O texto está organizado em três tópicos complementares: o primeiro discute o papel do gestor no contexto de políticas que apostam no binômio currículo-avaliação como referência do conceito de qualidade do “novo” serviço público; o segundo problematiza os argumentos da alegada responsabilidade do coordenador pedagógico na formação continuada de professores no âmbito da escola; por fim, apresenta relatos de pesquisas colaborativas realizadas com profissionais de ensino do município de São Caetano do Sul, como forma de resistência e alternativa contra hegemônica ao modelo produtivista de gestão. A partir de contribuições das teorias críticas de educação, aponta-se a necessidade de ocupar os espaços e tempos possíveis no cotidiano escolar para recuperar o protagonismo dos professores e fortalecer o princípio da gestão democrática tendo em vista a qualidade social da educação.

 


Palavras-chave


Gestão Pedagógica; Qualidade Social da Educação; Pesquisa Colaborativa; São Caetano do Sul.

Texto completo:

PDF

Referências


APLLE, Michael. The struggle for democracy in Education: lesson from social realities. New York: Routledge, 2018.

______. Official knowledge: democratic knowledge in a conservative age. 2. ed. New York: Routledge, 2014.

ARENDT, Hanna. A condição humana. 10. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

BALL, Stephen J.; MAGUIRE, Meg; BRAUN, Annette. How schools do policy: policy enactments in secondary schools. London; New York: Routledge, 2012.

BALL, Stephen J. The Education debate. Bristol: The Policy Press, University of Bristol, 2008.

BARBIER, René. A pesquisa-ação na instituição educativa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

BAUER, Adriana. É possível relacionar avaliação discente e formação de professores? Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 28, n. 2, p. 61-82, jun. 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-46982012000200004

BONAMINO, Alicia; SOUSA, Sandra Zákia. Três gerações de avaliação da educação básica no Brasil: interfaces com o currículo da/na escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 2, p. 373-388, jun. 2012.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Discurso na sessão de instalação do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia. Brasília: Biblioteca da Presidência da República, 17 ago. 1996. Disponível em: . Acesso em: 14 jan. 2018.

CARR, Wilfred; KEMMIS, Stephen. Teoría crítica de la enseñanza: la investigación acción en la formación del profesorado. Barcelona: Ediciones Martínez Roca, 1988.

CHIZZOTTI, Antônio; PONCE, Branca J. O currículo e os sistemas de ensino no Brasil. Currículo sem Fronteiras, v. 12, n. 3, p. 25-36, set./dez. 2012.

CÓSSIO, Maria Fátima. Agenda transnacional e governança nacional: as possíveis implicações na formação e no trabalho docente. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 13, n. 4, p. 616-640, out./dez. 2015.

DRABACH, Neila Pedrotti; MOUSQUER, Maria Elizabete Londero. Dos primeiros escritos sobre administração escolar no Brasil aos escritos sobre gestão escolar: mudanças e continuidades. Currículo sem Fronteiras, v. 9, n. 2, p. 258-285, 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 33. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

FREITAS, Luiz Carlos de. Os reformadores empresariais da educação e a disputa pelo controle do processo pedagógico na escola. Educação & Sociedade, Campinas, v. 35, n. 129, p. 1085-1114, dez. 2014.

FUNDAÇÃO SEADE. Portal de Estatísticas do Estado de São Paulo. 2017. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2018.

GARCIA, Paulo Sérgio et al. Desempenho escolar: uma análise do IDEB das cidades da Região do Grande ABC. In: GARCIA, Paulo Sérgio; PREARO, Leandro. (Orgs.). Avaliação da educação escolar no Grande ABC Paulista: primeiras aproximações. São Paulo: Plêiade, 2015a. p. 41-70.

GARCIA, Paulo Sérgio et al. Formação, atuação e formas de gestão dos diretores de escola da Região do ABC. In: GARCIA, Paulo Sérgio; PREARO, Leandro. (Orgs.) Avaliação da educação escolar no Grande ABC Paulista: primeiras aproximações. São Paulo: Plêiade, 2015b. p. 149-181.

GARCIA, Maria M. Alves; ANADON, Simone Barreto. Reforma educacional, intensificação e autointensificação do trabalho docente. Educação & Sociedade, Campinas, v. 30, n. 106, p. 63-85, jan./abr. 2009.

GATTI, Bernadete Angelina; BARRETO, Elza Siqueira de Sá; ANDRÉ, Marli E. D. Afonso. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: Unesco, 2011. p. 31-48.

HYPOLITO, Álvaro Moreira; VIEIRA, Jarbas dos Santos; LEITE, Maria Cecília Lorea. Currículo, gestão e trabalho docente. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 1-16, ago. 2012.

IBIAPINA, Ivana Maria Lopes de Melo. Pesquisa Colaborativa: Investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília: Líber Livro, 2008. [Série Pesquisa, n. 17].

LIMA, Licínio C. A escola como organização educativa. São Paulo: Cortez, 2001.

LURIA, Alexander Romanovich. Desenvolvimento cognitivo. 3. ed. São Paulo: Ícone, 2002.

MARIN, Alda Junqueira; GIOVANNI, Luciana Maria. Formação de professores para o início da escolarização: fragilidades. InterMeio, Campo Grande, v. 19, n. 38, p. 52-68, jul./dez. 2013.

NÓVOA, António. Governing without governing – The formation of a European educational space. In: APPLE, Michael W.; BALL, Stephen J.; GANDIN, Luis Armando. (Eds.). The Routledge International Handbook of the Sociology of Education. Abingdon; Oxon: Routledge, 2009. p. 264-273.

PECK, Jamie; TICKELL, Adam. Neoliberalizing space. Antipode, Oxford, Malden, p. 380-404, 2002. DOI: https://doi.org/10.1111/1467-8330.00247

PÉREZ GÓMEZ, Ángel I. A função e formação do professor/a no ensino para a compreensão: diferentes perspectivas. In: SACRISTÁN, Gimeno José; PÉREZ GÓMEZ, Ángel I. (Orgs.). Compreender e transformar o ensino. 4. ed. São Paulo: Artmed, 1998. p. 353-375.

PONCE, Branca J.; ROSA, Sanny S. da. Políticas curriculares do Estado Brasileiro, trabalho docente e função dos professores como intelectuais. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 15, n. 39, p. 43-58, 2014.

RITZER, George. (Ed.). McDonaldization: the reader. 3. ed. California: Pine Forge Press; London: SAGE Publ. Ltd., 2010.

ROSA, Sanny S. da. Reformas educacionais e pesquisa: as políticas “em cena” no Brasil e na Inglaterra. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 9, p. 1-28, 2012.

SACRISTÁN, Gimeno José. A educação que ainda é possível: ensaios sobre uma cultura para a educação. Porto Alegre: Artmed, 2007.

SHIROMA, Eneida O. A formação do professor-gestor nas políticas de profissionalização. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 7, n. 2, p. 1-20, ago. 2011.

SILVA, Maria Abádia. Qualidade social da educação pública: algumas aproximações. Cadernos Cedes, Campinas, v. 29, n. 78, p. 216-226, maio/ago. 2009.

SORDI, Maria Regina Lemes de; VARANI, Adriana; MENDES, Geisa do Socorro C. Vaz. (Orgs.). Qualidade(s) da Escola Pública. Reinventando a avaliação como resistência. Uberlândia, MG: Navegando Publicações, 2017. Disponível em: . Acesso em: 14 jan. 2018.

SOUZA, Vera Lúcia Trevisan de; PLACCO, Vera Maria Nigro de Souza. O coordenador pedagógico, a questão da autoridade e da formação de valores. In: ALMEIDA, Laurinda Ramalho de; PLACCO, Vera Maria Nigro de Souza. (Orgs.). O coordenador pedagógico e questões da contemporaneidade. 3. ed. São Paulo: Loyola, 2009. p. 25-39.

STENHOUSE, L. La investigación como base de la ensenanza. 1998. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2018.

TAVARES, Luana Serra Elias. Autoria ou reprodução? O cotidiano de professores coordenadores no contexto do programa Ler e Escrever. Santos. 2012. 230 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Católica de Santos, Santos, 2012.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 18. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

WERLE, Flávia O. Correa; SCHEFFER, Lisandra Scheneider; MOREIRA, Marilan de Carvalho. Avaliação e Qualidade Social da Educação. ETD – Educação Temática Digital, Campinas, v. 14, n. 2, p. 19-37, 2012.

WILKINSON, Gary. McSchools for Mc World? Mediating global pressures with a McDonaldizing education policy response. In: RITZER, George. (Ed.). McDonaldization: the reader. 3. ed. California: Pine Forge Press; London: SAGE Publ. Ltd., 2010. p. 150-158.

ZEICHNER, Kenneth M. A formação reflexiva de professores: ideias e práticas. Lisboa: Educa, 1993.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2018v16i4p1457-1484

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais