O DESENVOLVIMENTO DAS METODOLOGIAS ATIVAS NA EDUCAÇÃO BÁSICA E OS PARADIGMAS PEDAGÓGICOS EDUCACIONAIS

Neide de Aquino Noffs, Sidnei da Silva Santos

Resumo


Este artigo é um recorte de pesquisa realizada no programa de pós-graduação stricto-sensu em Educação Currículo na linha de pesquisa formação de Educadores da PUC-SP. Este trabalho tem como objetivo apresentar alguns procedimentos didáticos que servirão de referência para os princípios das metodologias ativas, e sua articulação com o paradigma da educação que  fundamenta a sua efetivação. Diante do atual cenário, algumas alternativas têm sido propostas, na dimensão das metodologias ativas de aprendizagem, por apresentarem um conjunto de princípios e estratégias que buscam reconfigurar a ação docente e discente, a partir dos três paradigmas pedagógicos, a saber, o da instrução, o da aprendizagem e o da comunicação. Neste sentido a atuação do professor se apresenta como um interlocutor qualificado, criando condições para que seus alunos adquiram autonomia intelectual e social, ressignificando os procedimentos e as informações de tal modo que possam descobrir o mundo que o rodeia visando a sua transformação. O trabalho se desenvolveu no enfoque qualitativo e partiu da pesquisa bibliográfica. Utilizamos como referência os autores Rui Trindade, Ariana Cosme, Neide Noffs, José Manoel Moran, dentre outros. Esta pesquisa nos revelou que o modo de organizar e planejar a aula conhecida como convencional não mais atende as necessidades das crianças e  jovens presentes na escola contemporânea o que se propõe, são alternativas denominadas de metodologias ativas onde o aluno se torna protagonista no processo de ensino, interagindo de forma ativa com o espaço de aprendizagem.


Palavras-chave


Metodologias Ativas; Formação de Professores; Paradigmas Educacionais.

Texto completo:

PDF

Referências


BERBEL, Neusi Aparecida Navas. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface, Comunicação, Saúde e Educação, Botucatu, v. 2. n. 2, p. 139-154, 1998.

BERGMANN, Jonathan; SAMS, Aaron. Sala de aula invertida: uma metodologia ativa de aprendizagem. Rio de Janeiro: LTC, 2016.

BOUTINET, Jean-Pierre. Antropologia do projeto. Porto Alegre: Artmed, 2012.

BRIDGES, Edwin M. Problem-based learning for administrators. Oregon, United States: ERIC Clearinghouse on Educational Management, 1992.

BRUNER, Jerome S. A cultura da educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000. DEELMAN, Annechien; HOEBERIGS, Babet. A ABP no contexto da universidade de Maastricht. In: ARAÚJO, Ulisses F.; SASTRE, Genoveva (Orgs.). Aprendizagem Baseada em Problemas no Ensino Superior. São Paulo: Summus, 2009. p. 79-100.

HERNÁNDEZ, Fernando. Transgressão e mudança na escola: os projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998. FONSECA, Mariana; GOMES, Patrícia. Invertendo a sala de aula invertida: Pesquisa de Stanford mostra que apresentar um Assunto de Forma Prática é mais efetivo do que começar com aula expositiva. 2013. Disponível em: http://porvir.org/porfazer/invertendo-sala-de-aula-invertida/20130814. Acesso em: 10 nov. 2019.

MASETTO, Marcos Tarciso. O Professor na hora da verdade: a prática docente no Ensino Superior. São Paulo: Avercamp, 2010.

MASETTO, Marcos Tarciso. Inovação no Ensino Superior. São Paulo: Loyola, 2012. MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 2009.

MORAN, José. Mudando a educação com metodologias ativas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. Coleção Mídias Contemporâneas, 2015.Disponível em: http://www2.eca.usp.br/moran/wpcontent/uploads/2013/12/mudando_moran.pdf. Acesso em: 10 nov. 2019. MORAN, José. Metodologias e modelos híbridos na educação. In: YAEGASHI, Solange Franci Raimundo et al. (Orgs.). Novas Tecnologias Digitais: Reflexões sobre mediação, aprendizagem e desenvolvimento. Curitiba: CRV, 2017. p. 23-35.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 8. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2003.

NOFFS, Neide. Formação continuada de professores: práticas de ensino e transposição didática. Curitiba: Appriz, 2016.

PERRENOUD, Phillipe. Pedagogia diferenciada: das intenções à ação. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

RIBEIRO, Luis Roberto de Camargo. Aprendizado baseado em problemas. São Carlos: UFSCAR; Fundação de Apoio Institucional, 2008. TRINDADE, Rui; COSME, Ariana. Escola, educação e aprendizagem: desafios e respostas pedagógicas. Rio de Janeiro: Walk Editora, 2010.

VIGNOCHI, Carine Moraes et al. Considerações sobre aprendizagem baseada em problemas na educação em saúde. HCPA & Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, v. 29, n. 1, p. 45-50, 2009.

RODRIGUES, Maria de Lourdes Veronese; FIGUEIREDO, José Fernando de Castro. Aprendizado centrado em problemas. Medicina, Ribeirão Preto, v. 29, p. 396-402, out./dez. 1996.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2019v17i4p1837-1854

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais