DIRETORES/AS, PEDAGOGOS/AS E PROFESSORAS: INFORMANTES-CHAVE DOS INTERDITOS SOBRE A DIVERSIDADE SEXUAL E HOMOFOBIA NA ESCOLA

Isaias Batista de Oliveira Júnior

Resumo


O presente artigo apresenta resultados parciais de uma investigação em torno da diversidade sexual e da homofobia centrada na escola. A investigação decorreu em treze escolas públicas de ensino médio em distintos municípios do Norte do Paraná, cujo objetivo foi analisar como as práticas de violência imputadas às pessoas LGBTQIA são manifestas no cotidiano escolar a partir da captação de falas espontâneas de educadores/as sobre a diversidade sexual e a homofobia. Em termos metodológicos recorreu-se a entrevistas semiestruturadas a 38 indivíduos que consideramos informantes-chave, como diretores/as, pedagogos/as e professoras. A análise de conteúdo foi orientada em “quem fala” e “com que finalidade fala”, sendo que a partir da interlocuções dos sujeitos estabelecemos categorias que foram discutidas a partir dos Estudos de Gênero e dos Estudos Culturais. As principais conclusões apontam que vivemos um momento no qual todos somos agentes responsáveis por uma educação igualitária, que não comporta a ausência de discussões sobre diversidade sexual e de estratégias de enfrentamento a homofobia, portanto, o maior desafio que se apresenta na atualidade para nós educadores/as é o de abrir-se para esse debate. 


Palavras-chave


Homofobia; LGBTQIA; Diversidade Sexual; Escola.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2019v17i2p513-542

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais