Contribuições do PIBID na formação inicial do professor de matemática: saberes da docência
PIBID contributions in the initial training of the mathematics teacher: knowledge of teaching

Maria Aparecida Silva de Souza, Saddo Ag Almouloud

Resumo


Este estudo insere-se no campo da formação de professores. Nasceu das reflexões acerca do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) no curso de Licenciatura em Matemática do Instituto Federal Espirito Santo (IFES) Cachoeiro de Itapemirim no Brasil. O programa tem por finalidade apoiar a iniciação à docência de estudantes de licenciatura, e também valorizar o magistério e, portanto, para a qualidade da educação básica, por meio da integração entre teoria e prática e entre universidade e escola. Objetivamos mostrar os significados do Pibid para estudantes, futuros professores em formação na Licenciatura em Matemática. Nossa hipótese é que o Programa proporciona a inserção do licenciando na sala de aula e a prática da docência no início da formação. Nós nos apoiamos em autores que discutem a prática e a formação docente e também os conhecimentos necessários ao professor para o exercício profissional. É possível afirmar que os significados são positivos, para a formação inicial dos estudantes de matemática, pois o Pibid tem contribuído para o aprimoramento da formação desses sujeitos, oportunizando a prática e a reflexão sobre a prática, além disso, integrando tais significados em atividades de pesquisa e divulgação científica.


Palavras-chave


Formação docente; matemática; Pibid.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMOULOUD, S. A. As transformações do saber científico ao saber ensinado. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. Especial 1/2011, p. 191-210, 2011. Editora UFPR

ARROIO, A.; HONÓRIO, K.M.; MELLO, P.H.; WEBER, K.C. e SILVA, A.B.F. A prática docente na formação do pós­-graduando em Química. Química Nova, v. 31, n. 7, p. 1888-1891, 2008.

ARROYO, Miguel G. Ofício de Mestre: imagens e autoimagens. 9ª ed. - Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

BRASIL. LEI Nº 9394/96 – LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL – 1996. Disponível em http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn2.pdf. Acesso em jul. 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Pibid. Educação básica. Brasília, DF, 2014. Disponível em: http://www.capes.gov.br/educacao-basica/55-educa-cao-basica-s/conteudo-eb. Acesso em:19/07/2017.

BRASIL. Parecer CNE/CES 1.302, 2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Matemática, Bacharelado e Licenciatura. Disponível em http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES13022.pdf. Acesso em jul.2007.

BRASIL. Referenciais para formação de professores. Ministério da Educação,

BRASIL. Resolução n° CNE/CP 01, de 18 de fevereiro de 2002 do Conselho Nacional de Educação. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, graduação plena. Disponível em http://www.cmconsultoria.com.br/legislacao/resolucoes/2002/res_2002_0001_CP_retificacao_fo rmacao_professores.pdf. Acesso em jul.2007.

BRASIL. Resolução nº CNE/CP 2, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior. Disponível em http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CP022002.pdf. Acesso em jul.2007.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Secretaria de Educação Fundamental, Brasília: MEC/SEF, 1998.

CHARLOT, B. Formação de professores: a pesquisa e a política educacional. In. Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002.

______, B. Relação com o saber, formação de professores e globalização: questões para a educação de hoje - Porto Alegre: Artmed, 2005.

CHEVALLARD, Y.; JOHSUA, M-A. La transposition didactique. Grenoble: La Pensée Sauvage-Éditions, 1991.

DAMIANI, M. F. Entendendo o ensino colaborativo em educação e revelando seus benefícios. Revista Educar. Curitiba, n. 31, p. 213-230, abr. 2008.

FIORENTINI, Dario and. OLIVEIRA, Ana Teresa de Carvalho Correa de. O lugar das matemáticas na Licenciatura em Matemática: que matemáticas e que práticas formativas. Bolema [online]. 2013, vol.27, n.47, pp.917-938. ISSN 0103-636X. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-636X2013000400011.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 48ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa-21ª Edição- São Paulo. Editora Paz e Terra, 2002.

FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS Um estudo avaliativo do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid). / Bernadete A. Gatti; Marli E. D. A. André; Nelson A. S. Gimenes; Laurizete Ferragut, pesquisadores. – São Paulo: FCC/SEP, 2014.

GATTI. B. A. Formação de Professores: condições e problemas atuais. Revista Brasileira de Formação de Professores, v. 1, n. 1, p.90-102, maio 2009.

GATTI, B.A. & BARRETO, E.S. (2009). Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO.

GATTI, B.A. (2010). Formação de Professores no Brasil: Características e problemas. Educação e Sociedade, 31(113), 1355-1379.

GATTI, Bernadete A. A formação inicial de professores para a educação básica: as licenciaturas. REVISTA USP • São Paulo • n. 100 • p. 33-46 • DEZEMBRO/JANEIRO/FEVEREIRO 2013-2014.

GATTI, Bernardete Angelina, ANDRÉ, Marli E. D. A., GIMENES, Nelson A. S., FERRAGUT, Laurizete. Um estudo avaliativo do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid). São Paulo: FCC/SEP, 2014. Disponível em: https://www.capes.gov.br/images/stories/download/bolsas/24112014-pibid- arquivoAnexado.pdf. Acesso em 07 DE JULHO DE 2017.

GATTI, Bernardete Angelina. Formação inicial de professores para a educação básica: pesquisas e políticas educacionais Est. Aval. Educ., São Paulo, v. 25, n. 57, p. 24-54, jan./abr. 2014.

GATTI, Bernardete A.; BARRETTO, Elba Siqueira de Sá; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO, 2011. p. 13-296.

IFES. Pró-Reitoria de Ensino. Relatório Final de atividades do Pibid no IFES. Vitória ES, 2012.

_______ Pró-Reitoria de Ensino. Relatório Final de atividades do Pibid no IFES. Vitória – ES, 2013 a 2016.

LARROSA, J. La experiencia de la lectura: estudios sobre literatura y formación. Barcelona: Latertes S.A 1998.

LORENZATO, S. O Laboratório de Ensino de Matemática na Formação de Professores. 3ª ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

LÜDKE, Menga. ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, EPU, 1986.

MEDEIROS, Josiane Lopes e PIRES, Luciene Lima. O Pibid no Bojo das políticas educacionais de formação de professores. Cad. Pes., São Luís, v. 21, n. 2, mai./ago. 2014

MEDEIROS, Marinalva Veras, CABRAL, Carmen Lúcia de Oliveira. Formação Docente: da teoria à prática, em uma abordagem sócio histórica. Revista E-Curriculum, ISSN 1809-3876, v. 1, n. 2, junho de 2006. http://www.pucsp.br/ecurriculum

MELLO, Guiomar Namo de Formação inicial de professores para a educação básica: uma (re) visão radical. São Paulo Perspec. [online]. 2000, vol.14, n.1, pp.98-110. ISSN 0102-8839. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-88392000000100012.

MELO, Gilberto Francisco Alves de Melo. Saberes Docentes de Professores de Matemática em um contexto de inovação curricular. In: FIORENTINI, D e NACARATO, Adair Mendes, Org, Cultura, formação e desenvolvimento profissional de professores que ensinam matemática: investigando e teorizando a partir da prática. São Paulo: Musa Editora; Campinas SP, 2005.

NÓVOA, António. Três bases para um modelo de formação. Gestão Escolar, p. 52-55, ago./set. 2013

_______ Novas disposições dos professores: A escola como lugar da formação; Adaptação de uma conferência proferida no II Congresso de Educação do Marista de Salvador (Baía, Brasil), em julho de 2003.Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/685/1/21205_ce.pdf. Acesso em 24 de mar.2018.

_______ A. Os professores e a sua formação (3a ed.). Lisboa: Publicações Dom Quixote.1997.

______ A. O Regresso dos Professores. Pinhais PR. Editora Melo, 2011

PIMENTA, Selma Garrido. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: Saberes pedagógicos e atividade docente. Selma Garrido Pimenta (Organizadora). 8. ed. São Paulo: Cortez, 2012. p.15-38.

SA, Lauro Chagas, CORRÊA. Anna Christina Alcoforado, RODRIGUES, Rodrigo Ferreira, SOARES. Ana Brígida. Uma breve trajetória do Programa de Iniciação à Docência no IFES. Revista Eletrônica Sala de Aula em Foco, ISSN 2316-7297 - Volume 02, Número 01, 07 – 09, 2013

SANTOS, Pablo Silva Machado Bispo dos. Guia prático da política e educacional no Brasil: ações, planos, programas e impactos. São Paulo: Ed. Cengage Learning, 2011.

SHULMAN, L. (1986). Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, v.15, n.2, 4-14.

______. (1987). Knowlege and Teaching: foundations of the new reform. Harvard Educational Review, 57 (1), 1-22.

TARDIF, Maurice. LESSARD, Claude. LAHAYE, Louise. Os professores face ao saber. Esboço de uma problemática do saber docente. Teoria e Educação nº 4, Porto Alegre, 1991.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 15 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

ZEICHENER, Kenneth M. Formando professores reflexivos para a educação centrada no aluno: possibilidades e contradições. In: BARBOSA Raquel Lazzari Leite (Org) Formação de Educadores: desafios e perspectivas. Editora Unesp, 2003.




DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2019v21i5p589-603

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA