INTEGRAÇÃO DO PENSAMENTO COMPUTACIONAL NO CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: DIFERENTES ESTRATÉGIAS USADAS E QUESTÕES DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES E AVALIAÇÃO DO ALUNO

José Armando Valente

Resumo


A maneira como as tecnologias digitais estão sendo trabalhadas nas escolas, em praticamente todos os países, não tem contribuído para o desenvolvimento do pensamento computacional. Essas atividades estão restritas ao uso do que foi chamado de software de escritório, como o processador de texto, a planilha e, com isso, não exploram conceitos da Ciência da Computação, permitindo usar o computador como um instrumento de pensar com e pensar sobre o pensar. Isso tem levado alguns países a alterarem o currículo da Educação Básica. O presente artigo tem como objetivo analisar as diferentes estratégias de implantação do pensamento computacional no currículo da educação básica, bem como as questões relacionadas à formação de professores e à avaliação. Essa análise permitiu classificar as estratégias em três grandes categorias: a inclusão de temas da Ciência da Computação; a inserção de disciplinas que exploram conceitos do pensamento computacional por meio do uso de tecnologias em diferentes atividades, como jogos e robótica; e a exploração dos conceitos do pensamento computacional de maneira transversal aos assuntos curriculares. Além disso, entender como está sendo a formação de professores para o desenvolvimento dessas atividades e como avaliar o desenvolvimento do pensamento computacional no aluno.


Palavras-chave


tecnologias educacionais; Ciência da Computação; estratégias de ensino e aprendizagem; fazer computacional

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais