A CENTRALIDADE DAS COMPETÊNCIAS SOCIOEMOCIONAIS NAS POLÍTICAS CURRICULARES CONTEMPORÂNEAS NO BRASIL

Tassia Joana Rodrigues Ciervo, Roberto Rafael Dias da Silva

Resumo


O presente artigo objetiva  mapear as contribuições teóricas  sociais contemporâneas dos estudos sobre neoliberalismo e capitalismo emocional para o entendimento das políticas curriculares, especificamente no que se refere à ênfase nas competências socioemocionais. Nesse sentido, a partir de um alinhamento na perspectiva dos Estudos Curriculares, serão problematizados os elementos instituintes deste cenário contemporâneo em sua interface com as propostas de inovação curricular que engendram a inclusão das emoções no trabalho pedagógico. Através de análise documental a  aproximação com o campo empírico será orientada pelos conceitos de competência e individualização entendidos como conceitos que, com maior ou menor intensidade, articulam a escola aos imperativos econômicos advindos do mundo do trabalho.  A racionalidade econômica vigente ao engendrar modos de subjetivação específicos faz uso da emocionalidade com vistas intensificar a produtividade dos indivíduos e fomentar a constituição subjetiva de “empresários de si”. Em linhas gerais, pode se afirmar que os debates acerca da seleção dos conhecimentos escolares são reposicionados no interior desta gramática formativa.


Palavras-chave


Currículo; Competências socioemocionais; Capitalismo emocional; Políticas curriculares.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2019v17i2p382-401

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais